Evangélico, Jorginho buscou na religião a maneira para definir o bom momento do Vasco. Após a vitória sobre o Botafogo, que aumentou a invencibilidade da equipe para 16 jogos, o treinador citou a Páscoa para exaltar a “ressurreição” do Cruz-Maltino sob seu comando. Para ele, a dedicação do grupo, o tempo de trabalho e a amizade no clube explicam a recuperação.

– Quero aproveitar o dia de Páscoa (para explicar). Nós ressurgimos no passado contra todas as possibilidades, contra a descrença de todos.

A gente não pode perder isso. Trouxemos um modelo de jogo, e os jogadores compraram isso.

Quando você tem tempo de trabalhar acaba obtendo resultados. Outra razão é o ambiente dos jogadores, de cobrança forte, buscando o melhor – disse o treinador.

A capacidade de se recuperar ficou visível para Jorginho contra o Botafogo. O treinador admitiu que Vasco começou mal e ficou preso na marcação rival.

Para ele, o gol de Thalles, em lindo passe de Nenê, facilitou as coisas para a equipe.- Não começamos o jogo muito bem.

O Botafogo conseguiu pressionar nossa saída de bola, não conseguimos nos encontrar nestes 15, 20 minutos. Ainda bem que conseguimos fazer um gol com o Thalles.

Conseguimos igualar no segundo tempo. Existem jogos que as coisas não correm tão bem tecnicamente.

O craque faz a diferença num momento crítico. Nenê não fez grande partida, já vi ele jogar muito melhor que hoje, mas é isso: jogador extremamente inteligente – elogiou.

Confira outros tópicos da entrevista coletiva:JordiFoi muito bem. Não é fácil substituir o Martín Silva.

Precisamos dar tempo ao tempo. O mais importante é que o Jordi demonstrou que tem capacidade, que o torcedor pode confiar no trabalho dele.

InvencibilidadeNão me fascina. O que me fascina é estar em primeiro, ganhar a vantagem para a semifinal e jogar o segundo jogo (da final) em casa.

A qualquer momento pode acontecer de perder a invencibilidade. A equipe vem jogando bem, se organizando.

ThallesNão está apenas jogando, está tendo a leitura do que está acontecendo. Isso é o que o Nenê tem de sobra: está no jogando enxergando tudo o que está acontecendo.

Cobrança entre jogadoresÀs vezes acontece briga entre eles. Estão buscando realmente o melhor.

Estão sendo amigos, sofrendo muito. Hoje no primeiro tempo houve discussão entre Luan e Rodrigo, que jogam juntos há três anos.

É briga constante por uma melhora.Recuperação física para enfrentar o FlamengoTempo não vai ter.

Calhou maravilhosamente a folga que a gente teve na sexta-feira. Pudemos descansar os jogadores.

Já começaram a fazer trabalho aqui no vestiário.Crise no FlamengoNão muda nada.

O Flamengo tem grandes jogadores, ainda não encaixou por questão de tempo. Tem um dos melhores treinadores do futebol brasileiro.

É questão de tempo para a coisa acontecer. Que não aconteça com a gente.

Equipe perigosa, joga com extrema intensidade, velocidade.Time a ser batidoResponsabilidade aumenta ainda mais.

Todos vão querer bater o Vasco, tirar invencibilidade, rivalidade grande demais. Os jogadores já entenderam isso.

O importante é estar concentrado. 
.

Fonte: Globo Esporte