Jorginho comemorou a classificação antecipada para a semifinal do Campeonato Carioca, mas fez coro com a torcida do Vasco que, apesar da vitória sobre o Madureira, vaiou a atuação da equipe em São Januário. O técnico afirmou não ter ficado satisfeito com o que viu em campo, especialmente no segundo tempo, mas ressaltou que não faltou entrega. Para Jorginho, o Madureira fez grande partida, enquanto o Vasco não conseguiu ter qualidade no toque de bola e não encaixou a marcação na etapa final.

– Não tenha dúvida que a classificação nos alegra muito. Mas todos vocês me conhecem, o quanto eu sou muito transparente e sincero.

Não fizemos uma boa partida. Não posso tapar o sol com a peneira.

Não estou satisfeito com a atuação da equipe. O Madureira fez uma grande partida, precisa ressaltar isso.

Não conseguimos encaixar a marcação no segundo tempo, não construímos o nosso jogo como vínhamos fazendo, saída de bola, passando de pé em pé. É minha responsabilidade detectar o que aconteceu para que possamos melhorar.

Uma classificação se constrói com vários jogos. Então, esses jogadores estão de parabéns pelo todo que estão realizado.

Consigo enxergar esse ponto positivo no meio de uma situação ruim, tática e técnica. Preciso ressaltar a entrega dos jogadores.

Pode ser que cheguemos com a vantagem do empate na fase final. O mais importante é que estamos classificados e podemos pegar a primeira colocação.

O treinador foi sincero ao dizer que a formação com Riascos e Thalles no time titular não o agradou e frisou que a queda de rendimento da equipe nas últimas partidas é de sua total responsabilidade.-  Nesse jogo, o Julio Cesar estava fora, o Jorge Henrique estava fora.

Optamos uma formação com 4-4-2 com dois atacantes. Sinceramente, não me agradou.

Acabou que o Nenê teve que fazer uma função que normalmente ele não faz. Não quer dizer que eu não posso fazer isso mais para frente, por necessidade.

O meu sentimento é de responsabilidade. É minha responsabilidade fazer com essa equipe jogue melhor.

O Vasco dorme na liderança da Taça Guanabara e espera o resultado do jogo entre Fluminense e Volta Redonda para ver se continuará na primeira posição ao fim da sexta rodada. No último compromisso, dia 17, em Manaus, o time joga o clássico com o Tricolor.

Antes, o duelo é contra o Remo, no Mangueirão, em Belém, pela estreia da Copa do Brasil. O jogo será realizado quarta-feira, às 21h45 (de Brasília).

Confira a entrevista coletiva de Jorginho:Mudanças na equipeO Henrique fez uma boa partida, chegou muito bem na frente em alguns momentos. Mas nós nos acostumamos a jogar de uma forma e com uma escalação.

E por falta de tempo de a gente treinar..

. Alguns jogadores voltando de lesão.

Riascos, Eder Luis. Tudo isso acaba tendo uma consequência no desempenho da equipe.

Sentimento de responsabilidadeO meu sentimento é de responsabilidade. É minha responsabilidade fazer com essa equipe jogue melhor.

Acho que a primeira partida contra o Flamengo foi nossa melhor partida. Marcamos forte, não demos nenhum espaço a eles, mantivemos a posse de bola, jogamos no campo do adversário.

A comissão técnica vai estar trabalhando para voltarmos a essa situação. Precisamos voltar a jogar bem.

Bom é que estou aqui comentando diante de uma vitória. Pior seria uma derrota.

Essas coisas são assim. O futebol é dinâmico.

Tudo pode acontecer, principalmente nos clássicos.Time correndo erradoEu tenho absoluta certeza e convicção e a responsabilidade que isso é uma questão de movimentação tática.

Quando uma equipe está bem organizada taticamente, ela corre muito menos. E isso é responsabilidade minha.

Os jogadores não deixaram de correr. O grande problema é que estamos correndo errado.

Estamos marcando individual ou às vezes em dupla. Fazíamos marcação alta com todos organizados.

Em alguns momentos de algumas partidas perdemos isso. A preparação da minha equipe está bem.

Pego essa responsabilidade para mim. Nos acostumamos com um Vasco sendo protagonista.

Não coloquei o time para trás, queria organizar minha equipe. Situação do RodrigoA ideia de início é sempre não poupar ninguém, já que nós vamos ter quatro dias.

O Rodrigo não é um cara que sai por qualquer coisa, sentiu um desconforto no adutor. Ele preferiu parar.

Ele queria ver como estava no vestiário. Temos feito um trabalho extremamente eficiente em termos de recuperação.

Ele se recuperando com certeza vai pro jogo. Sobrecarga em Nenê?Não vejo dessa forma.

O Nenê é esse jogador, é o jogador decisivo, é o protagonista. Acredito que minha equipe tenha alguns protagonistas, e o Nenê tem sido um deles.

Ele é muito maduro, é um cara obstinado, não se deixa abater por qualquer situação. O Nenê é um cara completamente destemido.

Quem tem acompanhado o Nenê, vê o quanto ele é fissurado realmente em treinar. É esse jogador que eu não tenho a menor preocupação.

É claro que não podemos esperar sempre do Nenê.Força máxima para BelémVamos analisar com calma.

Com certeza ao sair daqui indo para Belém vamos levar nossa força máxima em termos de recuperação. Vai estar todo mundo envolvido.

Parece ser muito cansativo, mas parece que vai ser fundamental estarmos juntos nesse momento agora. Observar vídeos, detectar exatamente o que aconteceu.

 
.

Fonte: Globo Esporte