A Liga de Futebol Profissional (LFP) da Espanha fez uma denúncia contra o Barcelona nos Comitês de Competição e de Antiviolência por causa de gritos homofóbicos da torcida contra Cristiano Ronaldo durante o clássico com o Real Madrid, no último sábado. Porém, segundo o jornal “Marca”, o clube catalão não será punido pois as ofensas teriam sido feitas por uma minoria do público no Camp Nou.Autor do gol da vitória do Real por 2 a 1, Cristiano Ronaldo ouviu gritos de “maricón” na partida, principalmente durante o minuto de silêncio em homenagem a Cruyff, antes do apito inicial, de acordo com a imprensa espanhola.

A denúncia foi feita pelo Observatório Espanhol contra a LGTBfobia.- Esses atos lamentáveis ​​e vergonhosos são puníveis de
acordo com a Lei do Esporte (2007) – disse através de um comunicado o diretor
do Observatório, Francisco Ramirez.

O diretor geral de segurança da Liga, Alfredo Lorenzo, não fará declarações sobre o tema. Mas a entidade divulgou um comunicado com a posição sobre as ofensas: “De maneira esporádica e pontual, por parte de algum ou alguns torcedores locais, com o campo totalmente em silêncio, gritaram as expressões ‘Puta Madrid’ e ‘Cristiano maricón’, em referência ao time visitante e a um jogador do time visitante.

Estes fritos foram reprovados por vaias por certa parte da torcida local, que desejava manter o minuto de silêncio. Tal e como foi indicado, temos que destacar que o comportamento do resto dos espectadores presentes foi absolutamente correto”.

De acordo com o “Marca”, o texto da Liga diz ainda que houve uma “extensa relação de grande quantidade de medidas contra a violência que o Barcelona tomou antes e depois” e que, assim, os “gritos isolados contra Cristiano Ronaldo dificilmente terão castigo”.
.

Fonte: Globo Esporte