Nesta quarta-feira, no duelo entre Fluminense e Bangu, em Edson Passos, o meia-atacante Almir terá um reencontro com o técnico Levir Culpi, seu comandante na época em que surgiu no cenário nacional, pelo Botafogo, durante a Série B de 2003. Na época com 19 anos, ele e o treinador ouviram muito da torcida alvinegra a música “Levir, bota o Almir!”.- Eu vivia um momento muito bom, só que a disputa era muito grande na minha posição, com jogadores como Valdo e Camacho.

Mas a torcida tinha um carinho muito grande por mim, porque sempre que entrava eu fazia gol. Os torcedores até criaram aquela música: ‘Levir, bota o Almir!’ E ele acabou achando um lugar no time pra mim, como atacante – lembra o jogador, atualmente com 33 anos.

Este é o décimo Campeonato Carioca que Almir disputa. De 2001 a 2006, defendeu o Botafogo.

Em 2012, 2014, 2015 e 2016, o Bangu. Nesta temporada, ele alcançou sua melhor marca de gols, oito, superando os sete do ano passado.

Ele está na briga com Tiago Amaral, do Volta Redonda, que já fez nove, para ser o artilheiro. Fred é o goleador do Flu.

Tem seis.- Estou muito feliz, vivo um momento maravilhoso.

Sempre fiz gols, mas nunca fui artilheiro de uma competição. Cheguei próximo com o Botafogo em 2003, no Brasileiro da Série B, quando fiz 12 gols e fui artilheiro do time.

Sou mais de vir de trás, de armar as jogadas, não sou homem-gol. Minha preocupação nunca foi ser artilheiro, mas é gostoso ver o meu nome na briga pela artilharia.

Meu objetivo, mesmo é levar o Bangu a conquistar seus objetivos, como chegar à semifinal da Taça Guanabara e se classificar para a Série D do Brasileiro. Somos nós, Volta Redonda e Boavista lutando por duas vagas – disse Almir.

Para o duelo com o Flu, Almir reconhece que enfrentar um dos grandes do Rio é uma sensação diferente, uma chance para ele e o Bangu mostrarem serviço.- Será uma partida importante para os dois times, um jogo especial, uma oportunidade boa para mostrar serviço.

Espero estar inspirado. A responsabilidade é a mesma de qualquer outro jogo, claro, mas não dá para negar que jogar contra um grande é diferente – finalizou.

O Fluminense é o terceiro colocado na Taça Guanabara com cinco pontos em três jogos. O Bangu é o oitavo, com apenas um.

.

Fonte: Globo Esporte