JuazeirenseTiago RealSe tem uma coisa que o Vitória não pode reclamar
neste início de temporada é de falta de tempo para recuperar
jogadores. Com alguns atletas no departamento médico e outros em
processo de transição para o trabalho com bola, o técnico Vagner Mancini
tem doze dias para ter todo o grupo à disposição para a partida contra o
Juazeirense, marcada para o dia 10 de abril, pelas semifinais do Campeonato Baiano. 
Somente no treino desta quarta-feira, Mancini não
pôde contar com Guilherme Mattis, Tiago Real e Alípio, que ficaram no
departamento médico, além de Willian Farias e Vinícius, que continuaram
em processo de transição para o trabalho com bola.

Leandro Domingues,
Victor Ramos e Vander também não treinaram, mas foi apenas para que eles
pudessem fazer um trabalho especial.
Embora admita a preferência por jogar mais vezes
durante a semana, o atacante Marinho reconheceu a importância do tempo
livre para recuperar todo o elenco rubro-negro para a próxima fase do
Baianão.

– Eu prefiro estar jogando sempre, que fosse
quarta e domingo. Por entrosamento seria bem melhor.

A gente sabe que o
tempo não favorece essa questão [entrosamento]. Mas temos tempo para
trabalhar e ganhar alguma coisa nos aspectos que faltam.

[..

.] A gente
tem esse tempo para recuperar.

A gente vai poder contar com muitos
jogadores que estão machucados. É bom, fortalece o grupo – acredita
Marinho.

Além de recuperar o grupo, o tempo livre para
treinar também serve para afinar ainda mais a parceria com um
companheiro de ataque. No primeiro jogo juntos, Marinho e Kieza não
sentiram a falta de entrosamento e se destacaram.

O último ainda saiu
com gol logo na estreia com a camisa do Vitória.
– Entrosamento a gente fala que não tá porque foi
o primeiro jogo dele, a estreia.

Mas a gente vai se conhecendo. Jogamos
várias vezes contra e agora estamos jogando a favor.

Nada como estrear
fazendo gol. Falei para ele que estrear com pé direito é uma coisa muito
boa.

 
Como facilidade para chegar logo ao entrosamento
com os novos companheiros, Marinho tem ao seu lado o recurso do
bom-humor. Um dos mais descontraídos do grupo rubro-negro, o atacante vê
o elenco bem unido fora de campo.

– Não só eu como os outros aí. William Henrique
também [é descontraído].

Quando você tem um grupo em que todos se
gostam, bom de trabalhar, só tem a ganhar com isso.
Confira outros trechos da entrevista coletiva do atacante Marinho:01Juazeirense- A gente, na verdade, já viu a equipe deles
jogar, mas como falta muito tempo [para o jogo] não entrou em detalhes.

Quando chegar perto do jogo, uns três, quatro dias antes, o
professor vai passar tudo junto com a comissão.
01Tiago Real- A gente sabe que é um jogador que tem muita
qualidade, vinha nos ajudando até ter essa lesão.

Outros jogadores
entraram sem entrosamento nenhum e a gente teve uma resposta muito boa
por um time com muita peça trocada. O Tiago é um atleta importante e
quando ele voltar vai ser uma for de cabeça para Mancini [escalar o
time].

Saiba mais:Fique por dentro das notícias do esporte baianoClique aqui e assista a vídeos do Vitória
.

Fonte: Globo Esporte