O balanço, jogo a jogoUm dia após encerrar sua participação na Série A3 do Campeonato Paulista no empate em 2 a 2 com o Atibaia, fora de casa, o Noroeste revelou nesta segunda-feira que o vermelho não apenas foi a cor predominante de seu uniforme como também coloriu a contabilidade do clube nas partidas jogadas em Bauru, no estádio Alfredo de Castilho, o Alfredão. O Noroeste terminou o torneio na 13ª posição, em posição intermediária entre a zona do rebaixamento e o G-8. Com base em dados dos boletins financeiros dos jogos, documentos disponíveis no site da Federação Paulista de Futebol (FPF), a diretoria noroestina informou que, apesar de ter sido a equipe com a melhor média de público (925 torcedores) da competição na primeira fase, o Alvirrubro registrou um prejuízo de cerca de R$ 24 mil nas nove partidas realizadas como mandante – o Noroeste ainda jogou dez vezes fora de casa (veja os números detalhados abaixo).

Em apenas uma única oportunidade o Noroeste não ficou no vermelho, justamente na partida em que o time teve seu maior público nesta temporada. Na quarta rodada, o Noroeste recebeu 1.

187 torcedores na partida diante do Sertãozinho, o que gerou um lucro de R$ 483,24.Segundo o presidente Emílio Brumati, a renda ideal nos jogos em Bauru para manter as contas do clube “no azul” teria de ser de aproximadamente R$ 20 mil, ou seja, cerca do triplo da média registrada neste ano (R$ 6,9 mil).

Nesta conta estão também somadas as despesas de cada partida fora de casa, estimadas em R$ 5,5 mil entre viagem, alimentação e hospedagem.SAIBA MAISConfira a tabela completa da Série A3Segundo a diretoria, o motivo deste desequilíbrio se dá pela extensa lista de despesas fixas que são de responsabilidade do mandante.

Dentre elas, estão gastos com seguro, arbitragem, impostos, duas ambulâncias, médico de plantão, policiamento, seguranças particulares, gandulas, taxa de testes de exames antidoping, cortesias para patrocinadores e credenciais de jornalistas.No balanço divulgado, também consta um prejuízo excepcional (R$ 16.

557,23), registrado na 13ª rodada, na partida diante do Rio Preto, causado por uma penhora judicial de renda por conta de ações trabalhistas. A diretoria disponibiliza as planilhas de recebimentos e gastos de cada partida, que podem ser conferidas na secretaria do clube.

Segundo a assessoria de imprensa do Noroeste, o clube adota essa política de transparência “para mostrar à imprensa e à torcida as altas taxas exigidas pela Federação Paulista de Futebol para a realização de uma partida”.01O balanço, jogo a jogoNoroeste x Grêmio Osasco (30/1)Receita de renda: R$ 9.

660,00Despesas: R$ 10.739,24Saldo devedor: R$ 1.

079,24Público total: 962 pessoasNoroeste x Sertãozinho (10/2)Receita de renda: R$ 9.150,00Despesas: R$ 8.

666,76Saldo credor: R$ 483,24Público total: 1.187 pessoasNoroeste x Flamengo de Guarulhos (17/2)Receita de renda: R$ 7.

300,00Despesas: R$ 8.323,00Saldo devedor: R$ 1.

023,76Público total: 996 pessoasNoroeste x Olímpia (27/02)Receita de renda: R$ 6.550,00Despesas: R$ 9.

422,70Saldo devedor: R$ 2.922,70Público total: 968 pessoasNoroeste x Catanduvense (5/3)Receita de renda: R$ 5.

340,00Despesas: R$ 8.374,87Saldo devedor: R$ 2.

834,87Público total: 803 pessoasNoroeste x Rio Preto (12/3)Receita de renda: R$ 5.940,00Despesas: R$ 16.

557,23*Saldo devedor: R$ 10.617,23Público total: 815 pessoas(*) Penhora judicial de parte da rendaNoroeste x Comercial (19/3)Receita de renda: R$ 6.

940,00Despesas: R$ 7.897,13Saldo devedor: R$ 957,13Público total: 933 pessoasNoroeste x Fernandópolis (26/3)Receita de renda: R$ 4.

800,00Despesas: R$ 7.528,88Saldo devedor: R$ 2.

728,88Público total: 671 pessoasNoroeste x Primavera (30/3)Receita de renda: R$ 6.430,00Despesas: R$ 8.

399,69Saldo devedor: R$ 1.969,69Público total: 990 pessoas
.

Fonte: Globo Esporte