A semana que vem reservará aos torcedores do Tupi-MG o início de várias notícias relacionadas a renovações, contratações e saídas de jogadores – movimentação normal ao fim de cada competição. Dos titulares da equipe, só Fabrício Soares ainda não tem vínculo para a Série B, mas mesmo quem tem permanência garantida no papel não pode confirmar se realmente vai ficar. Pelo menos, essa é a análise do atacante Michel Henrique.

Vinculado ao Tupi-MG até 30 de novembro, o avante fez uma reflexão a respeito do tema, e disse que, de forma geral, isso não dá certeza de permanência.- Hoje em dia, no futebol brasileiro, acho que ter ou não ter contrato não está contando muito, até porque isso não está sendo muito respeitado.

Mas a gente tem uma diretoria séria e um grupo forte, e quem não está tendo oportunidade talvez vá ter que procurar outra coisa. Agora, quem for ficar, tem tudo para fazer uma ótima Série B, até porque virão outros jogadores – disse Michel Henrique.

Embora afirme querer continuar no Tupi-MG, o atacante preferiu não garantir que jogará a Série B, argumentando que a decisão não depende apenas dele.- Não sei.

Nesse caso eu deixo com a diretoria, mas eu espero ficar e ajudar o Tupi na Série B. Gostei muito da cidade e do clube, mas isso é o que está acontecendo no futebol brasileiro.

Muitas vezes você não faz uma boa campanha e há uma mudança geral no plantel. Agora, acho que não vai ser assim aqui, porque grupo e direção estão fechados – analisou.

Michel Henrique será novamente deslocado à ponta-direita para o jogo contra a Caldense, no domingo, às 16h, pela última rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro. Isso também aconteceu na vitória sobre o Tricordiano, quando Rubens conquistou a titularidade e foi posicionado como centroavante da equipe.

.

Fonte: Globo Esporte