O meia Nadson descarta que o Paraná entre como favorito ao
título do Campeonato Paranaense após ter terminado na liderança da primeira
fase. Ele lembra que existia uma desconfiança antes da competição e que, a
partir de agora, é necessário ter cabeça no lugar para suportar essa pressão:- Favorito, eu não acho que é. Claro que fizemos excelentes
partidas e, fora do campo, todo mundo fala que é favorito.

Mas, antes do
campeonato, nosso time era apontado como favorito a ser rebaixado. Então, a
gente não considera que é favorito.

Tem que ter a cabeça no lugar para que não
possa influenciar dentro de campo – falou o camisa 8 em entrevista na
tarde desta quarta-feira.Nadson é uma das novidades do Paraná Clube para a partida de
ida das quartas de final – provavelmente contra o Foz do Iguaçu.

Ele, o lateral-direito
Dick, o zagueiro Alisson e o atacante Robson ficam à disposição após
desfalcaram o Tricolor no empate com o PSTC, pela 11ª rodada do estadual. Dick deve ficar no banco; os outros três reassumem a titularidade:- Sem dúvida, o desgaste está sendo muito grande, não só
meu, como de outros jogadores também.

Então, serviu como descanso também.
Agora, é pensar nas quartas de final, que a gente tem que vencer.

Independente
do adversário que a gente for enfrentar, a gente tem que buscar ponto forte,
vai ter que vencer o jogo. Então, independente de ser Foz ou PSTC, a gente vai
trabalhar do mesmo jeito, forte, como a gente vem fazendo.

Confira tambémTabela da fase final do Campeonato ParanaenseVálber comemora 100% de presença e mira recordeParaná Clube busca o reequilíbrio para o mata-mataO adversário do Paraná nas quartas de final deve ser o Foz do Iguaçu, com jogos
marcados para os próximos dois finais de semana. A confirmação, porém, só sai na quinta-feira, quando o Londrina será
julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva
(STJD) pela escalação irregular do volante Germano na estreia.

Se o

Tubarão recuperar os seis pontos perdidos na primeira instância, o
Tricolor cairia para o segundo lugar e
pegaria o
PSTC nas quartas.Na primeira fase, Paraná e Foz protagonizaram um empate com
seis gols, muitos cartões e algumas polêmicas.

Nadson comenta sobre o
reencontro com a equipe da fronteira.- É complicado porque foi um jogo diferente, um jogo
difícil.

A gente ficou a maior parte do tempo com um jogador a menos, mas a
equipe se comportou bem. Tem a parte do calor também, que é difícil jogar lá.

Mas
a gente sabe como é o clima lá, como é o time deles e vamos procurar fazer o
nosso melhor. Vai melhorar um pouco no segundo tempo só.

A gente sabe que vão
ser muito difíceis essas quartas de final, superar essas coisas e buscar fazer
um excelente jogo – concluiu.Confira mais notícias do esporte paranaense no globoesporte.

com/parana
.

Fonte: Globo Esporte