O fraco retrospecto recente não abala o ambiente do São Paulo-RS, que não vence há sete partidas e, no domingo, enfrenta o Inter, no Beira-Rio, pelas quartas de final do Campeonato Gaúcho. Não se trata de fechar os olhos às quatro derrotas e três empates. Para o técnico Hélio Vieira, é uma questão de analisar com serenidade onde o Rubro-Verde estava no ano passado e onde estará nas próximas duas temporadas.

LEIA MAIS> Confira os confrontos das quartas de final> Os prós e contras do sexteto que desafia a DuplaPor outro lado, tem um desafio “cascudo” para seguir às semifinais do Gauchão. Para o técnico, será um jogo de muita estratégia, no qual o Colorado é favorito, pois “vem numa crescente e goleando todos os times que tem enfrentado”.

Mas isso não faz com que em Rio Grande se pense em entregar os pontos:– Vamos vivos. Ninguém combinou comigo que somos obrigados a perder.

Ninguém vai sair daqui sem acreditar na vitória. Vamos dificultar as ações e buscar alternativas para não ficarmos só nos defendendo – afirma Hélio Vieira ao GloboEsporte.

com.Com o sexto lugar na primeira fase, o São Paulo-RS garantiu vaga na Série D deste ano e de 2017 – isso se não subir para a C.

São duas temporadas com calendário cheio. O treinador lembra que, em abril de 2015, o Leão do Parque ficou na dependência de um fracasso do Caxias na última rodada para não ser rebaixado.

– O ambiente é ótimo aqui. Na segunda-feira, fez um ano que todos no estádio estavam grudados no radinho, esperando terminar o jogo entre Caxias e Novo Hamburgo.

Hoje, um ano depois, com a menor folha do campeonato, de cerca de R$ 100 mil, nos livramos do rebaixamento na quinta rodada, nos classificamos com duas rodadas de antecedência, recolocamos o clube com calendário ate o fim do ano por dois anos. Temos muito a comemorar – comenta o técnico.

Sem Júlio Abu, aposta em atacante “híbrido”Como a preparação para o Campeonato Gaúcho iniciada ainda em dezembro do ano passado, o São Paulo-RS chega à reta final do torneio sofrendo com o cansaço. Vieira reclama que seu time já percorreu mais de 6 mil quilômetros pelo Rio Grande do Sul para cumprir seus compromissos.

– E tem time que viajou 1 mil quilômetro – diz o treinador. Na primeira fase, o Rubro-Verde foi a Caxias do Sul (900 km de ida e volta), Lajeado (850 km), Veranópolis (950 km), Erechim (1,3 mil km), Porto Alegre (660 km), Gravataí (700 km) e São Leopoldo (715 km).

 O Inter perambulou menos. No total, foram cerca de 1,3 mil quilômetros.

O Colorado foi a São Leopoldo (80 km de ida e volta), Veranópolis (310 km), Caxias do Sul (260 km), Lajeado (225 km) e Vacaria (480 km). A tabela foi definida por sorteio.

Com um grupo pequeno nas mãos, Vieira comemora as voltas de Thiago Corrêa e Romano, poupados na última partida, e a inexistência de jogadores suspensos. Por outro lado, o comandante lamenta a confirmação da gravidade da lesão de Júlio Abu.

Com um estiramento de grau dois, o atleta deve parar por 30 dias, ficando fora do Gauchão.– O Abu era a nossa jogada de velocidade e escape.

O Guto Nervis é um híbrido, não é nem um centroavante de posicionamento nem um jogador de velocidade. É um segundo atacante pelo lado.

Vamos usá-lo – antecipa.
Confira todas as notícias do esporte gaúcho em www.

globoesporte.com/rs
.

Fonte: Globo Esporte