Com apenas 40 segundos de jogo, a seleção brasileira já
vencia o Uruguai na noite desta última sexta-feira no Recife, na Arena
Pernambuco. Depois, aos 25 minutos do primeiro tempo, o placar apontava 2 a
0 no confronto pela quinta rodada das eliminatórias da Copa 2018. Suficiente
para empolgar? Não o comentarista do SporTV Maurício Noriega, que vê o
time comandado por Dunga muito longe de disso depois do empate por 2 a 2(assista ao vídeo).

– A seleção brasileira não chegou a empolgar em nenhum
momento. Ela fez uma partida boa em alguns momentos, mas empolgar ainda está
muito longe.

(Foi) bem (no primeiro tempo), que é bem diferente de dizer que ela
empolgou. Não tenho esse ânimo todo em relação à seleção brasileira.

Acho que
tem um erro de conceito de jogo, tem dois jogadores – Fernandinho e Luis
Gustavo – que estão presos a uma ideia que parte do treinador que foge ao que
se faz no mundo todo hoje, (onde se joga) com jogadores de meio-campo de mais
toque que podem desafogar uma equipe – analisou.Noriega apontou que função de Neymar no esquema de Dunga não funcionou (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)Ainda segundo Noriega, a escalação de Neymar numa nova
posição dificultou as ações do jogador.

Dunga montou o Brasil no 4-1-4-1, com o
camisa 10 mais à frente na função que se convencionou a chamar de “falso 9”,
por não jogar fixo na área.- Acho de novo que o Neymar foi escalado de forma
equivocada.

Neymar jogou mal individualmente, que isso fique muito claro, não estou
defendendo o Neymar, fez uma partida ruim. Mas jogou fora de lugar.

Ele joga
num lugar que para ele buscar o melhor posicionamento dentro de campo tem que
sair de onde está, no meio dos três (homens) de frente, buscar uma posição de
lado de campo para fazer o que faz melhor. Todo mundo vê Neymar jogar no
Barcelona, ele parte com a bola dominada em diagonal para buscar uma situação
de jogo (.

..

). Vi um Neymar incomodado em campo, querendo jogar mais porque
sabe que pode jogar, e incomodado com a posição em que ele estava jogando.

O Brasil saiu na frente com Douglas Costa e depois ampliou
com Renato Augusto. Ainda no primeiro tempo, Cavani diminuiu para o Uruguai.

Na
etapa final, Suárez empatou logo aos dois minutos, e depois a Celeste
pressionou o time brasileiro. Para Noriega, dois pontos foram determinantes
para que a equipe de Óscar Tabárez passe a dominar o jogo.

– Acho que a postura de marcação alta e a mudança de posicionamento
de um jogador, o (Carlos) Sánchez – concluiu.
A seleção brasileira, que segue em terceiro
lugar nas eliminatórias, agora com oito pontos, volta a jogar na terça-feira,
contra o Paraguai, em Assunção.

O Uruguai, segundo colocado com 10 pontos,
recebe o Peru em Montevidéu.
.

Fonte: Globo Esporte