Na semana que antecedeu o clássico Re-Pa que terminou
empatado em 1 a 1 no último domingo, no Mangueirão, pelo Campeonato Paraense, o
presidente do Paysandu, Alberto Maia, e o vice do Remo, Fábio Bentes, fizeram
uma aposta solidária: o clube que levasse menos público no confronto teria que
doar 10 cestas básicas para uma instituição carente. No borderô do jogo, o Papão
levou 11.761 torcedores à arquibancada, contra 8.

420
do rival, uma diferença de 3.341 pessoas.

Após a partida, o Twitter
oficial do Paysandu cobrou o pagamento da aposta por parte do Remo:- Quem é a verdadeira #LotaTudo
mesmo? Pague a aposta! @ClubeDoRemo. Fiel Bicolor é maioria no Mangueirão mais
uma vez.

Obrigado a cada torcedor bicolor presente. #AMaiorDoNorte – escreveu o
perfil bicolor.

A reportagem do GloboEsporte.com
entrou em contato, na manhã desta segunda-feira, com Fábio Bentes, para saber
como ocorreria o cumprimento do acordo com o Paysandu.

O dirigente do Remo
exaltou a participação do torcedor remista nos últimos Estaduais e aproveitou
para lembrar o histórico tabu de 33 confrontos que o Leão ficou sem perder para
os bicolores na década de 1990.- Tem mais de 10 anos que as
nossas médias de público são as maiores do Pará.

Não é por um jogo que vamos
deixar de ser o Fenômeno Azul. Vou pagar 33 cestas básicas como forma de
agradecer tudo o que essa torcida já fez pelo Remo.

Eu pagarei pessoalmente. A
aposta foi minha e não sairá um centavo do clube – disse Bentes.

Ainda segundo Fábio Bentes, as
diretorias de Remo e Paysandu ainda não definiram qual instituição receberá as
cestas básicas e nem o dia e horário da entrega, porém, adiantou que o gesto solidário
será feito com a presença dos representantes de Leão e Papão.
.

Fonte: Globo Esporte