De um lado, Tressor Moreno, de 37 anos, rodado no futebol, principalmente com algumas passagens pela seleção da Colômbia. Do outro, Thiago Verçosa, prata da casa e com muito menos bagagem na carreira. O que une as duas extremidades? O Nacional Futebol Clube.

Ambos buscam espaço no elenco principal de Heriberto da Cunha.O medalhão colombiano já teve suas chances.

Entrou na segunda etapa do duelo contra o Remo, marcando um gol, e foi titular na partida de ida diante do Remo, quando não correspondeu e foi sacado ao longo do jogo pelo comandante. Já Tiago quer estrear na competição.

E a sua primeira chance será na quarta, fora de casa, pelo jogo de volta contra o Leão do Pará. Nas palavras dele, é a hora de aproveitar a oportunidade.

Nos treinamentos estou no time de cima. Se eu ganhar essa
oportunidade, eu vou aproveitar o máximo.

Fazer a estreia na Copa Verde. Estou
feliz, motivado, assim como o grupo.

Sabemos a dificuldade que vai ser.  A gente treinou bem, estamos focados.

Vou
aproveitar o máximo e dar o melhor para ajudar o Nacional – disse Thiago.O atacante vai entrar no lugar de Rodrigo Dantas, que está suspenso por conta do terceiro cartão amarelo.

Inclusive, ele fez questão de ressaltar a qualidade do companheiro de time e posição.-

Eu acho que o Dantas está bem, ajudando a equipe.

Vou
procurar fazer o mesmo. Procurar fazer gol e ajudar os companheiros.

Quem
entrar tem que estar bem, focado e dar seu melhor – concluiu.Por outro lado, Tressor provavelmente começara no banco, haja vista que ele perdeu espaço para Nego nos últimos coletivos do Naça.

Porém, ele sabe que tem potencial para estar entre os 11 principais jogadores.-

Em todos os treinamentos você precisa treinar bem para poder
jogar.

Sei que tenho a capacidade de trabalhar bem. Mas depois é o Heriberto que
coloca o time sempre.

Para mim, tenho que trabalhar para melhorar e ajudar o
time – afirmou.Questionado sobre a dificuldade de encarar o Remo fora de casa, Tressor disse que o elenco precisa ter tranquilidade no momento de criar as jogadas.

O time tem que jogar. Tem que ter tranquilidade.

Quando joga
de visitante, a torcida contrária vai tentar te deixar nervoso. Aqui tem gente
com muitos anos no futebol.

O mais importante é ter tranquilidade e posse de
bola. Sempre tentando jogar para frente.

Tem que ter muita personalidade para
jogar lá – finalizou o estrangeiro, que disse estar adaptado ao clima e cultura amazonense.Remo e Nacional se enfrentam nesta quarta, às 19h (de Brasília), no
estádio Mangueirão, pelo jogo de volta da 2ª fase.

No primeiro duelo, em
Manaus, as equipes ficaram no empate em 1 a 1. Se o placar se repetir,
pênaltis.

Empate sem gols é do Leão Paraense e a partir de dois do time
de Manaus. Vitória simples classifica qualquer um dos times.

 O
GloboEsporte.com fará a transmissão da partida em Tempo Real.

.

Fonte: Globo Esporte