Das 16 partidas disputadas em 2016 pela Chapecoense, o goleiro Danilo esteve ausente apenas de uma. Por uma escolha técnica, o time titular foi poupado da desgastante viagem ao Amazonas para enfrentar o Princesa do Solimões, pela Copa do Brasil. Foi o único jogo do Verdão do Oeste em que Danilo não estava neste ano.

A atual temporada começa diferente do ano passado para Danilo. Algo positivo e comemorado pelo atleta.

Em 2015, ele sofreu sua primeira lesão. Devido a um problema no ombro, ficou cerca de três meses afastado dos gramados.

Com a falta de ritmo, teve dificuldade no Campeonato Brasileiro. Goleiro é uma posição diferente.

Não pode errar. Um mínimo erro custa muito.

Danilo chama 2015 de “um ano atípico”. Com confiança e assiduidade, o goleiro quer fazer uma grande temporada em 2016.

Com boas defesas e regularidade, é um dos destaques da campanha invicta da Chapecoense nos primeiros quatro meses.- Esse ano está sendo muito bom.

Ao contrário de 2015, que tive a lesão. Ainda é pouco para avaliar se vai ser uma temporada boa ou não.

Mas estou feliz por ter feito uma boa pré-temporada e me condicionar muito bem fisicamente. Estou pegando confiança, tenho tido um bom ritmo de jogo.

No ano passado, foi um ano ruim. Tive a lesão e depois perdi um pouco da confiança – analisou o camisa 1, ao GloboEsporte.

com.A confiança se ganha com sequência.

E, principalmente, com boas atuações. Para a posição de goleiro, o erro pode levar um time à derrota.

Estar bem preparado, portanto, é importante para essa função. – Goleiro é uma posição diferente.

Não pode errar. Um mínimo erro custa muito.

E precisa estar preparado fisicamente e mentalmente. No ano
passado, tive a lesão no início do estadual e não tive uma sequência boa
para o Brasileiro, que é uma competição mais complicada.

Nunca tinha tido uma
lesão de ficar três meses parado. Isso atrapalhou um pouco.

Mas a
lógico que foi um ano atípico. Eu já esqueci, estou com confiança – ressaltou.

No Catarinense, a Chape tem a defesa menos vazada, com nove gols sofridos em 15 partidas. A estatística é boa.

Para Danilo, é resultado do esforço de todo o time. O goleiro destacou que há um bom entrosamento dos zagueiros e que a comunicação no sistema defensivo permite que o time tome poucos gols.

Além disso, ele destacou o empenho dos jogadores de frente com a marcação. Os atacantes marcam lá na frente e dificultam a vida do adversário na articulação das jogadas.

– Nosso time tem a melhor defesa porque é o conjunto. Em vários jogos fui pouco exigido, porque o time esteve organizado, pressionando o adversário com a posse de bola.

Sai um zagueiro, entra outro, e mantém o rendimento. Estar com a defesa menos vazada passa pelo grupo também.

O atacante marca muito lá em cima. A dedicação na marcação é muito bom para a gente atrás.

Neste domingo, a Chapecoense tenta recuperar a liderança do returno do Catarinense. Com 14 pontos, dois a menos que o Joinville.

Neste domingo, às 18h30, o time alviverde encara o Metropolitano, fora de casa, pela sétima rodada do segundo turno. Confira mais notícias do esporte de Santa Catarina no GloboEsporte.

com/sc
.

Fonte: Globo Esporte