O Remo será julgado, na próxima sexta-feira, pela Quarta Comissão
Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O Leão foi
denunciado pela Procuradoria do órgão por um incidente na partida contra o
Nacional-AM, realizada no dia 24 de abril, no Estádio da Colina, em Manaus,
pelo jogo de ida das quartas de final da Copa Verde.De acordo com o árbitro brasiliense Rodrigo Batista Raposo,
em ação registrada na súmula do confronto, um torcedor, vindo da arquibancada
reservada ao Remo, invadiu o campo após o gol de empate do Leão, marcado nos
acréscimos do segundo tempo.

Ainda segundo o apitador, a pessoa foi contida
pelos policiais, porém, não foi apresentado Boletim de Ocorrência.O clube paraense foi denunciado no artigo 213 do Código Brasileiro
de Justiça Desportiva (CBJD),  que trata
de “Deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir: II — invasão
do campo ou local da disputa do evento desportivo”.

A pena é o pagamento de multa
no valor de R$ 100 a R$ 100 mil. O Nacional também será julgado com base no
mesmo artigo, porém, deve ter punição agravada com a perda de manda do campo.

O GloboEsporte.com entrou em contato com o presidente do
Remo, André Cavalcante, que será o responsável pela defesa azulina no STJD.

Segundo o mandatário, não foi registrado um Boletim de Ocorrência em razão da confusão no
estádio amazonense.- Não
podíamos fazer nada.

Estávamos em uma cidade que não conhecíamos, não tinha
como ir à delegacia..

. Aquilo virou uma praça de guerra.

Eu pensei que o
Nacional tivesse feito o B.O.

Inclusive, irei conversar sobre isso com eles ainda
hoje. Não tem como confirmar que o torcedor era do Remo, não tem porque a gente
ser penalizado por isso.

*Colaborou Samara Miranda.
.

Fonte: Globo Esporte