A
reunião entre
Dunga, Gilmar Rinaldi e a cúpula da CBF causa calafrios em dirigentes do
Corinthians nesta terça-feira. Distante mais de 4.500km da sede da
entidade,
no Rio de Janeiro, o Timão tenta se concentrar na Libertadores, mas
aguarda por uma decisão da entidade que pode afetar diretamente o
futuro de Tite no clube.

A apreensão é
grande entre os dirigentes alvinegros que viajaram com a delegação até Bogotá,
na Colômbia. Mesmo assim, eles se mostram confiantes.

Boa parte deles acredita
que, se Dunga for demitido, Tite rejeitará o convite para assumir a vaga. Em livro, o técnico admitiu que recusou dois convites para conversas no ano passado.

Dois motivos
são os mais citados internamente para a permanência. O primeiro: Tite não gostaria de comandar a Seleção neste
momento em virtude das denúncias de corrupção na CBF.

Mesmo afastado, Marco
Polo Del Nero segue poderoso nos bastidores. Ele é desafeto de Andrés Sanchez,
ex-dirigente do Timão e muito próximo do treinador.

O segundo
argumento é de que o técnico não deixará o Corinthians sem antes terminar a
participação na Libertadores. O Timão lidera o Grupo 8, com nove pontos, e pode
se classificar às oitavas de final antecipadamente se vencer o Santa Fe, nesta
quarta-feira, às 21h45, na capital colombiana.

– Tite é um
cara diferente de tudo que tem por aí. Se realmente existir um convite,
acredito que ele fique no Corinthians – disse um dirigente.

E MAIS:> Com atuações irregulares, Guilherme pede tempo para decolar no Timão> Craque do Santa Fe “demite” técnico, abre mão de dinheiro e é idolatradoMas há também
o outro lado. Integrantes do departamento de futebol corintiano entendem que
Tite não perderia a oportunidade de treinar a seleção brasileira, sobretudo por
já ter conquistado os títulos mais importantes da história do Corinthians.

Ele
deixaria o clube sem atrito com a torcida e para comandar o projeto que sempre
traçou como meta para a carreira. A diretoria
quer aguardar a decisão da CBF para pensar no futuro.

Um nome, porém, é
bastante forte nos bastidores para assumir a equipe, caso Tite saia: Oswaldo de
Oliveira. O treinador sempre foi elogiado pelo presidente Roberto de Andrade e
tem boa relação com integrantes da comissão técnica.

Eduardo
Baptista tem a aprovação de Andrés Sanchez e corre por fora.Até
mesmo os
jogadores estão apreensivos com a decisão do caso.

Nenhum deles quer se
manifestar, mas alguns seguem a linha da diretoria de apostar na
permanência em virtude das finais do Paulistão e da chegada do
mata-mata da Libertadores.

Enquanto
nenhuma decisão é tomada, o Corinthians faz nesta terça-feira à tarde o treino
de reconhecimento do gramado do estádio El Campín.

Tite, por enquanto, segue por aqui.
.

Fonte: Globo Esporte