O Atlético-GO tinha reagido
depois da derrota por 1 a 0 no clássico contra o Vila Nova, na 12ª rodada do
Campeonato Goiano, e conseguiu vencer Aparecidense e Goianésia, fora de casa,
antes do confronto da última quinta-feira, contra o Ypiranga-RS, pela Copa do Brasil.
O Dragão era favorito e ainda tinha vantagem de empatar por 0 a 0 ou 1 a 1, já
que havia arrancado placar de 2 a 2 no jogo de ida da primeira fase. Entretanto, o time rubro-negro
jogou mal, perdeu por 2 a 0 e acabou eliminado de forma surpreendente no
estádio Serra Dourada.

Apesar do banho de água fria, o técnico Wagner Lopes,
que assume a responsabilidade pelo revés, diz que o clube precisa levantar a
cabeça por causa da segunda fase do estadual. Depois de enfrentar a Anapolina,
no próximo domingo, o Dragão iniciará o mata-mata em disputa de mais um título
goiano.

 – Como treinador, assumo a
responsabilidade, pois o time não jogou bem. Mas é momento de tirar lições e
não deixar abalar para a sequência do estadual.

Ainda temos jogos importantes
pela frente no Goianão.Wagner Lopes também falou sobre a
atuação da equipe na última quinta.

Depois de um primeiro tempo morno, mas sem
sustos, o Dragão sucumbiu na etapa final e levou dois gols, sendo um logo aos
dois minutos. Para o treinador, foi um dia em que nada deu certo.

– Foi um dia em que nada
encaixou. Até tivemos boas oportunidades no primeiro tempo, mas não fizemos.

E
a Copa do Brasil tem essa peculiaridade. Se você não faz, acaba fortalecendo o
adversário, que, no caso do Ypiranga-RS, já veio em busca do contra-ataque, de
jogar por um erro.

Cometemos um pênalti com dois minutos de jogo após o
intervalo. Isso dificulta muito.

Foi um dia bastante triste.SAIBA MAISMárcio fala em rever conceitos e critica atuação: “Vexatória”
.

Fonte: Globo Esporte