Nada de retranca. O técnico Claudio Tencati espera um jogo aberto e quer um Londrina ofensivo contra o Atlético-PR no domingo, na Arena da Baixada, pelas quartas de final do Paranaense. Para o treinador, o empate no jogo de ida, por 1 a 1, fará com que as duas equipes busquem sair para o ataque e garantir a classificação para as semifinais do estadual.

Por isso, Tencati pede que o Tubarão suporte uma possível pressão inicial e consiga impor o seu estilo de jogo.– Vão existir espaços, até porque o
Atlético-PR não vai exercer um poder ofensivo e defensivo de 90 minutos com a
mesma regularidade.

Como qualquer equipe, eles vão ter oscilações e o Londrina
tem que aproveitar esses momentos. Temos que suportar a pressão inicial, que é
normal com a Arena lotada, o grito do torcedor empurra a equipe inicialmente.

Temos que suportar isso e buscar com que o Londrina
também faça o seu futebol e não só defenda, que também jogue, envolva, dificulte
para o adversário. A melhor defesa é atacar.

Assim você cria envolvimento e
coloca medo no adversário. Esse será o nosso intuito – disse.

 Para conseguir aproveitar os espaços, Tencati tenta corrigir os erros apresentados no jogo de ida, principalmente na saída de bola. Na avaliação do treinador, a equipe ficou pressionada e insistiu em bolas longas e em cruzamentos sem grande sucesso.

O técnico quer maior aproximação entre os jogadores para explorar melhor os espaços deixados pelo Atlético-PR.– O Atlético-PR não vai dar campo
para nós trabalharmos a bola.

Mas nós temos, sim, alternativas de saída de bola,
mesmo com a pressão do Atlético-PR para conseguir sair desse xeque-mate que
eles fizeram aqui algumas vezes. Tivemos erro de posicionamento aqui e estou
corrigindo isso.

É preciso de ter mais aproximações do meia com o lateral para
obrigar o adversário vir ao seu campo e ter mais espaços no campo de ataque – comentou.Leia também:Londrina tem dúvidas na escalaçãoNetinho diz que torcida pode ajudar na BaixadaConfira a tabela do Campeonato ParanaenseOutro fator apontado por Tencati para deixar o jogo mais aberto é o gramado artificial da Arena da Baixada, principalmente por fazer com que a bola corra mais rápida.

O treinador disse não se preocupar com a questão de adaptação, e aponta que o gramado pode favorecer alguns atletas do elenco, como o atacante Paulinho Moccelin.A melhor defesa é atacar.

Assim você cria envolvimento e coloca medo no adversário. Esse será o nosso intuito”– Tenho amigos no Criciúma e no Coritiba e, na conversa que eu tive, eles me relataram que nem parece ser sintético, parece ser natural de tão boa que é a condição do gramado.

O jogo só fica mais rápido, a bola não fica quicando, oferece uma velocidade maior na troca de passes, na condução da bola, na velocidade, no drible. O Atlético-PR tem jogadores com essa capacidade, nós também temos.

O gramado só vai oferecer ao espetáculo – comentou.Apesar de querer o time atacando, Tencati pede atenção para o sistema defensivo, principalmente nas jogadas do Atlético-PR usando o centroavante de pivô.

O treinador lembra que os gols sofridos nos dois confrontos anteriores, na primeira fase e nas quartas de final, saíram assim, e pede um cuidado maior com esse tipo de lance, ainda mais se o atacante Walter entre em campo.– Eles trabalham em um esquema que
passa muito pelo pivô, foi assim na primeira fase e no jogo de ida, e se o
Walter jogar vai ser mais ainda.

O André Lima faz muito isso, e o Walter faz
melhor ainda, porque ele tem esse giro para não definir e um passe muito bom. Esse
tipo de jogada vai existir, principalmente com a bola nos pés do Marcos
Guilherme e do Nikão – analisou.

O Tubarão encara o Atlético-PR no domingo, às 16h (de Brasília), na Arena da Baixada, em Curitiba. Quem vencer avança às semifinais da competição.

Em caso de empate, a vaga será decidida nos pênaltis.Leia mais notícias do esporte paranaense no globoesporte.

com/parana
.

Fonte: Globo Esporte