LEIA MAIS

Segundo o artigo do jogador na, oito foram os times em que Cruyff mostrou seu futebol e talento para o mundo. Tirando suas duas passagens pelo Ajax (1964-73 e 1981-83) e o período no Barcelona (1973-78), todas as outras equipes pelas quais o ídolo holandês jogou são pouco lembradas. Torcedores.

com dedica agora esta matéria a mostrar este lado da história de Hendrik Johannes Cruyff que poucos conhecem
Los Angeles Aztecs (EUA, 1979)
Era para Cryuff ter se aposentado após encerrar sua passagem pelo Barcelona, mas o holandês aceitou o desafio de jogar no então ascendente futebol dos Estados Unidos (e, dizem, influenciado por ter perdido dinheiro com criação de porcos). Em 1979, o jogador assinou com o Los Angels Aztecs, da primeira versão da North American Soccer League (NASL).

Em apenas uma temporada pela equipe, levou o time às semifinais de conferência (sendo eliminados pelo Vancouver Whitecaps), mas mesmo assim foi eleito o melhor jogador da liga e parte da seleção do campeonato.
New York Cosmos (EUA)
Cruyff nunca jogou oficialmente pelo Cosmos em partidas de competição.

Mesmo assim, vestiu a camisa do lendário clube para dois amistosos no ano de 1978. Houve rumores de que o jogador seria contratado pra valer pelo time de Beckenbauer e Carlos Alberto, mas a negociação não foi para frente e ele teve de fechar com os Aztecs
Washington Diplomats (EUA, 1980)
Depois de Los Angeles, Cruyff trocou de costa e se transferiu para o Washington Diplomats, onde atuou durante a temporada de 1980 da NASL.

Pelos Dips, conseguiu levar a equipe para os playoffs, mas acabou caindo justamente para os Aztecs. Mesmo assim, foi novamente eleito para a seleção daquela temporada.

Cruyff acabaria deixando a NASL no começo de 1981. O fato de Cruyff não gostar de jogar em grama artificial teria sido fundamental para que ele voltasse para a Europa
Levante (Espanha, 1981)
No meio-tempo entre sair dos EUA e voltar para a Europa, Cruyff jogou partidas amistosas pelo FC Dordrecht e quase assinou com o Leicester.

No entanto, o holandês preferiu voltar à Espanha e assinar com um time de camisa azul e grená, Mas, no caso, a tal equipe era o Levante, então na Segunda Divisão.
A passagem de Cryuff pelo Levante foi curtíssima, de apenas quatro meses e que levou a equipe apenas ao nono lugar, longe do acesso para a elite espanhola.

Foram apenas dez jogos e dois gols com a camisa da equipe da Comunidade Valenciana antes de voltar no mesmo ano para o Ajax.
Milan (Itália, 1981)
Após deixar o Levante, Cruyff aceitou a proposta do Milan de jogar o Mundialito de Clubes, um torneio internacional de pré-temporada organizado por ninguém mais do que Silvio Berlusconi (que mais tarde se tornaria chefão do próprio Milan).

Foi apenas uma única partida com a camisa rossonera, disputada no dia 16 de junho de 1981, contra o Feyenoord. A sua participação, no entanto.

não foi das melhores. Sem mostrar a mesma disposição de tempos anteriores, não mostrou bom desempenho e foi até vaiado pela torcida.

O holandês foi substituído após o intervalo da partida, que terminou com o placar de 0 a 0.
Feyenoord (Holanda, 1983-84)
Revoltado pelo Ajax não ter o procurado para renovar seu contrato, Cruyff resolveu se mudar para um dos rivais do clube que o lançou: o Feyenoord.

Em Roterdã, o final de carreira do jogador não poderia ter sido dos melhores: quebrou o jejum de títulos da equipe no Campeonato Holandês, que já durava dez anos e, de quebra, também faturou a Copa da Holanda. Ainda mais: foi eleito o melhor jogador da Eredivisie na temporada em um time que contava com um jogador que, anos mais tarde, daria o que falar: Ruud Gullit.

 No final daquela mesma temporada, encerraria sua carreira como jogador.
Crédito dos dados: Wikipedia (em inglês), sites oficiais dos clubes (Cosmos, Feyenoord, Levante) e da North American Soccer League e site Quattrotratti (Milan)

Crédito da foto: Reprodução/Site Oficial da NASL

.

Fonte: Torcedores.com