TRIG/shutterstock

Os problemas de pele podem, muitas vezes, ser um sinal de que é preciso mudar os hábitos alimentares, eliminando alguns alimentos que são maléficos e podem aumentar a oleosidade ou o ressecamento, causar acne e até envelhecimento precoce.

A nutricionista Flávia Moraes, do Centro Médico Ceterj, listou os piores alimentos para a pele, explicando como eles agem.

Alimentos que fazem mal à pele

Frituras

Christian-Fischer/shutterstock

A regra é sempre evitar. “O óleo quente transforma as propriedades do alimento e a gordura eleva os riscos de doenças cardiovasculares, deixando a pele bastante oleosa com maior tendência a acne. Quem possui pele oleosa tem mais um motivo para ficar bem longe dos alimentos fritos. A dica é uma só: faça a opção por alimentos grelhados”, diz.

Sorvete

Viktor1/shutterstock

Os sorvetes de massa e picolés cremosos com chocolate crocante possuem muito açúcar, gorduras trans, corantes e sabores artificiais, além da gordura hidrogenada, que está relacionada a celulite, estrias e espinhas. “Nos dias de calor, escolha um sorvete à base de frutas, principalmente de limão, maracujá e abacaxi. O iogurte frozen também é uma ótima sugestão, pois tem menos gordura”, afirma.

Chocolate

Brenda Carson/shutterstock

O chocolate meio amargo é mais saudável, mas ele também possui gordura. Já o chocolate branco não deveria ser chamado dessa forma, pois não tem a pasta do cacau e tem a maior concentração de açúcar e gordura, o que faz dele o mais calórico. “Comer apenas esporadicamente ou no fim de semana não deverá fazer tanto mal para a sua pele. Mas lembre-se a quantidade ideal é 20 gramas”, diz.

Carboidratos

Valentyn Volkov/shutterstock

Segundo pesquisa de uma universidade na Austrália, os carboidratos refinados estão associados à acne. Alimentos como arroz e pão branco são digeridos rapidamente, indo diretamente para a corrente sanguínea. Já os carboidratos complexos são digeridos lentamente. Maçã, pera, banana, lentilhas, grão de bico, arroz e pães integrais e cereais como linhaça, aveia e quinoa, sempre nas versões integrais, são exemplos de alimentos carboidratos complexos.

Laticínios

Valentyn Volkov/shutterstock

Iogurtes, leite, queijo amarelo, doce de leite e leite condensado são ricos em gordura e, portanto, aumentam a oleosidade da pele. Prefira as versões desnatadas e sem lactose. “O cálcio contido nesses alimentos também pode ser encontrado em alimentos como brócolis, couve flor, nozes, castanhas e pistache”, diz.

Comida apimentada

Izlan Mohamad/shutterstock

A pimenta dilata os vasos sanguíneos, o que pode causar manchas no rosto, deixando a pele menos jovem. As mulheres na menopausa devem evitar.

Carne processada

Lawkeeper/shutterstock

Salsicha, bacon, presunto, mortadela… Fique longe desses alimentos industrializados, se quiser manter uma pele linda e saudável. “As carnes processadas são ricas em sódio, substância responsável pela retenção de líquidos. O consumo pode ocorrer, mas com muita moderação”, afirma.

Bebidas alcoólicas

Brent Hofacker/shutterstock

O álcool etílico é encontrado na maioria das bebidas. O consumo em excesso compromete o bom funcionamento do fígado, o órgão não consegue expelir as toxinas, aumentando a sede após beber. Além disso, o álcool faz muito mal à pele, deixando-a desidratada e sem brilho. “Isso ocorre porque o organismo precisa trabalhar para metabolizar o que foi ingerido, ou seja, o corpo precisa separar o que é bom do que não é. Para metabolizar cada molécula de álcool são necessárias nove moléculas de água”, explica.

A palavra-chave é moderação. “Não há problemas em uma taça de vinho ou em uma cervejinha. O problema é quando a ressaca torna-se um estado permanente. Especialistas relatam que 12 doses por semana (duas por dia) não trazem prejuízos. Uma latinha de cerveja ou uma taça de vinho têm aproximadamente 10 gramas de álcool. Após beber, reforce a ingestão de líquidos, principalmente água de coco, pois hidrata a pele”, diz.

Cafeína

portumen/shutterstock

Assim como qualquer outro diurético, a cafeína diminui a umidade corporal. O consumo excessivo (mais de quatro xícaras por dia) causa perda de vitaminas e minerais e o exagero eleva o nível de cortisol, além de estar relacionado a doenças dermatológicas como a psoríase, cujas características são lesões avermelhadas e descamativas.

Refrigerantes

Darkkong/shutterstock

Nas 150 calorias da bebida estão presentes entre 30 e 55mg de cafeína, corantes e conservantes. E as versões sem açúcar também não são indicadas, pois contêm alta concentração de aspartame, substância que pode causar situações de ansiedade, compulsão alimentar, hiperatividade, insônia e TPM. “Os refrigerantes com ou sem açúcar possuem sódio, o que gera retenção de líquidos. A presença do fosfato deixa a pele sensível e leva ao surgimento de espinhas, enfraquecimento geral da pele e músculos. Evite ao máximo”, orienta.

Melhores alimentos para a pele

A dica principal é fazer escolhas saudáveis no dia a dia para manter a pele saudável. “Atum, salmão e bacalhau ajudam a recuperar peles ressecadas. Frutas cítricas, brócolis, tomates e pimentões protegem a pele dos raios ultravioleta, ajudam na cicatrização e aumentam a produção de colágeno. Nozes, castanha do Pará e vegetais de folhas verdes escuras impedem a deterioração das células, fator que determina o envelhecimento da pele. Grão de bico, nozes, lentilha e carne fortalecem o colágeno”, finaliza.

Fonte: Bolsa de Mulher