por Redação

marciogarciamgp / Instagram

As dúvidas e aflições sobre a criação dos filhos são comuns a todos os pais, inclusive os famosos. Márcio Garcia contou ao Bolsa de Mulher um pouquinho da sua rotina com os quatro filhos, de 11, 9, 6 e 1 ano, e ainda elegeu alguns conselhos adotados por ele e Andréa Santa Rosa, sua companheira e mãe dos pequenos, que ajudam a família a criar indivíduos independentes, gentis e respeitosos.

Primeiro filho ou filho único

  • Para Márcio, é sempre muito importante tomar cuidado para não mimar o primeiro filho. Isto porque, na tentativa de cuidar e proteger, a insegurança gerada pela inexperiência pode dar espaço para a superproteção e o mimo, fatores que futuramente podem atrapalhar a educação.
  • O conselho é ainda mais intenso se o casal não pretende ter mais filhos. “Tenha em mente [essa decisão] para que seu filho tenha um tratamento normal e não cresça superprotegido ou mimado porque isso pode gerar problema no futuro para ele e para você”.
  • O ator também utiliza uma frase famosa, mas que faz muito sentido. “É preciso criar filhos para o mundo”, diz. Para isso, desde sempre a criança deve ter suas responsabilidades, direitos e obrigações, designados de acordo com a idade, é claro.
  • Para isso, Márcio conta que em sua casa permite que os pequenos convivam com outras crianças. Certificando-se de que os espaços sejam seguros e as pessoas, confiáveis, ele diz que deixa os filhos irem até a casa de coleguinhas e abre sua casa para isso também. “É preciso dar espaço para eles descobrirem da sua própria forma as coisas do mundo”.
  • Isto, além de dar autonomia à criança, também ensina muito sobre defesa e, especialmente, divisão e compartilhamento. “Eles precisam entender que é preciso dividir e respeitar o espaço do outro”.

Criar irmãos

  • Pai de quatro crianças, Márcio ainda diz que um lema na sua casa é lembrar que cada uma das crianças, mesmo recebendo a mesma educação e vivendo no mesmo ambiente, vai reagir de forma distinta. Isto porque a educação não anula a personalidade. Nesses casos, é preciso ter jogo de cintura para saber lidar com cada um sem anular algumas características ou potências.

Expectativa dos pais

  • “Seu filho não vai ser uma cópia sua”, ele diz. Direcionado aos pais que insistem em depositar suas expectativas pessoais nas crianças, o ator lembra que embora seja importante orientar os pequenos, é preciso também respeitar os gostos e escolhas deles. Para isso, os planos pessoais não realizados não podem ser transpassados para os filhos.
  • Mas, para que a criança consiga desenvolver seus gostos e fazer escolhas responsáveis, os pais também precisam estimular que ela se sinta segura. Como conta o ator, na casa todo mundo tem suas particularidades respeitadas e suas capacidades e gostos apoiados.
  • Nos diálogos da família o pai conta que não existe tabu. Isso porque, para eles, faz parte da construção de um ser humano respeitoso e responsável a conversa sobre qualquer tema. Dúvidas sobre homossexualidade, drogas e até política surgem durante o jantar. Nas respostas, sempre baseadas na idade de cada um deles, a sinceridade sobrepõe os mitos e as inverdades.
  • Ele também mostra que, mesmo com tanta experiência, não está livre de se encher de dúvidas. Nessa hora, recorre a bons materiais de leitura. Tempo, informações de qualidade e trocas com profissionais são essenciais para uma boa adaptação.

Fonte: Bolsa de Mulher