Victor_Brave/iStock

A UN Women (organização das Nações Unidas dedicada à igualdade de gênero), a Comissão Europeia, a Cooperação de Desenvolvimento Belga e a UNRIC (Centro Regional de Informação das Nações Unidas) criaram juntas uma competição de histórias em quadrinhos e cartoon sobre igualdade de gênero em 2015. A competição contou com a participação de jovens artistas europeus e estudantes de arte de 18 a 28 anos.

O desafio era desenhar o que eles entendiam como sendo direitos das mulheres e igualdade de gênero sem usar palavras. Os finalistas e ganhadores foram selecionados por um júri composto por desenhistas de histórias em quadrinhos profissionais, especialistas em igualdade de gênero e em comunicação. Conheça os finalistas e vencedores e o que eles têm a dizer sobre suas criações.

Primeiro lugar:

Emilio Morales Ruiz, Espanha

Divulgação/UN Women

Emilio nasceu em Huelva, na Espanha, em 1988. Ele ama tudo que é associado a arte desde criança. Estudou comunicações de mídias de massa na Universidade de Málaga e na Universidade de Salamanca e detém um diploma em publicidade da Universidade de Cádiz e em Lisboa, Portugal. Emilio trabalha como designer gráfico e faz desenhos a mão, ilustrações, logos, pôsteres e outros para diferentes empresas. Ele já fez ilustrações decorativas dentro de clubes, entre outros lugares, na Espanha e no Reino Unido.

O que igualdade de gênero significa para você: “Igualdade de gênero é um direito inegável. A desigualdade de gênero é, portanto, uma realidade que nós precisamos extinguir imediatamente”.

Sobre o meu desenho: “A desigualdade de gênero ainda é visível atualmente. Mesmo os menores atos são passos importantes para resolver o problema global”.

Segundo lugar:

David Ibáñez Bordallo, Espanha

Divulgação/UN Women

David nasceu em Yecla, na Espanha, em 1988. Em 2009, ele conquistou o certificado de especialista técnico em artes e design da Escola de Artes e Design de Múrcia, na Espanha. David também tem mestrado em educação pela Universidade de Múrcia. Atualmente, ele trabalha como ilustrador freelancer para empresas e mídia impressa, enquanto continua sua pesquisa em interesse em educação intercultural.

O que igualdade de gênero significa para você: “Desigualdade de gênero representa um dos maiores problemas da atualidade. Como professor, eu acredito no poder da educação para mudar as coisas. Eu espero que com educação adequada, criatividade e senso de responsabilidade, as futuras gerações serão capazes de tomarem atitudes mais fortes para resolver isso e outros problemas que comprometem a sustentabilidade e a felicidade humana: eu realmente acredito nos superpoderes das crianças para superar barreiras que agora parecem quase impossíveis de serem superadas”.

Sobre o meu desenho: “Pare de contar histórias, você são superpoderosas!”

Terceiro lugar:

Samuel Akinfenwa Onwusa, Espanha

Divulgação/UN Women

Samuel Akinfenwa Onwusa nasceu em Zaragoza, Espanha, em 1987. Desde pequeno sofre influência da arte e da pintura. Samuel é formado em arte e também em design e ilustração pela Escola de Artes de Zaragoza. Ele trabalha como ilustrador para diferentes empresas na Espanha, desde 2009. Também trabalha como designer gráfico fazendo pôsteres e designs corporativos. O artista já ganhou vários prêmios com os seus pôsteres.

O que igualdade de gênero significa para você: “Igualdade de gênero é um desafio muito importante e inextricavelmente ligado à educação. Independentemente de gênero ou etnia, nós somos todos seres humanos e, portanto, a igualdade é um dos aspectos mais importantes. Igualdade de gênero é um objetivo que tem que estar nas mentes das pessoas, especialmente das crianças, para que a paz e a harmonia prosperem”.

Sobre o meu desenho: “Meu quadrinho reflete a rejeição e a intolerância que as mulheres são submetidas em entrevistas de emprego, ignorando a educação e o conhecimento que elas têm para a posição”.

Demais finalistas:

Aleksi Siirtola, Finlândia

Divulgação/UN Women

Aleksi nasceu em Tampere, na Finlândia em 1987. Ele desenha há muito tempo e começou a fazer tirinhas aos 12 anos de idade. Aleksi já desenhou para revistas, competições e comissões privadas. Ele atualmente faz mestrado em Teoria Literária Inglesa.

O que igualdade de gênero significa para você: “Eu sempre me vi como sendo um feminista. Eu acho que igualdade de gênero é uma das mais importantes metas que a sociedade tem que atingir, e uma [meta] que beneficia a todos”.

Sobre o meu desenho: “Meu desenho retrata como as mulheres podem trabalhar em busca da igualdade sem comprometer quem elas são. A meta de igualdade é universal”.

Agata Hop, Polônia

Divulgação/UN Women

Agata nasceu em 1995 e ainda está no ensino médio em Suprásl, na Polônia. Ela tem uma série de projetos de arte em ilustrações, tirinhas, desenho digital e animação. Ela já trabalhou em um estúdio de animação desenvolvendo camisetas para um workshop de dança no Grand Theatre em Warsaw e criou o logo do Theatre Dolls and People em Bialystok.

O que igualdade de gênero significa para você: “Igualdade de gênero significa que homens e mulheres são capazes de conquistar o mesmo grau de sucesso realizando o mesmo esforço”.

Sobre o meu desenho: “O cartoon retrata a triste realidade atual de uma forma divertida. Enquanto o homem está subindo a escada rolante em direção ao sucesso, a mulher tem que escalar uma escada comum carregando muitos fardos”.

Aitor López García, Espanha

Divulgação/UN Women

Aitor nasceu em 1988. Ele tem licenciatura em escultura aplicada e estudou história da arte na Universidade de Oviedo, na Espanha. Ele tem um grande número de trabalhos artísticos, incluindo cartoons, logos e desenhos de diferentes tipos. Aitor já ganhou vários prêmios com os trabalhos, incluindo um desenho feito para um leilão de caridade que teve o dinheiro revertido para ajudar as pessoas que passavam por dificuldades no Haiti, em 2010.

O que igualdade de gênero significa para você: “Igualdade de gênero significa que um dia nós não vamos mais precisar falar sobre igualdade”.

Sobre o meu desenho: “Desigualdade de gênero afeta todas as pessoas, homens e mulheres de modo idêntico”.

Joanna Grochulska, Polônia

Divulgação/UN Women

Joanna nasceu em Wągrowiec, Polônia em 1991. Ela se formou em educação artística pela Universidade de Artes em Poznán. Em 2014, ela começou a estudar design de interior na mesma universidade. Com outros estudantes, Joanna comanda a Universidade Jovem de Artes em Poznán, um lugar onde crianças e jovens podem desenvolver a sua criatividade.

O que igualdade de gênero significa para você: “Igualdade de gênero é algo natural para mim. Todas as pessoas, independentemente do sexo, raça, religião ou situação econômica, merecem ter oportunidades iguais e serem tratadas com dignidade”.

Sobre o meu desenho: “Mulheres têm muita força. Elas são capazes de consertar o mundo. E o que é mais importante – elas já estão fazendo isso”.

Semifinalistas:

Clara Mar Hernández López, Espanha

Divulgação/UN Women

Laurence Herfs, Holanda

Divulgação/UN Women

Olga Schikunov, Alemanha

Divulgação/UN Women

Jakub Topor, Polônia

Divulgação/UN Women

Mariola Stachnik, Polônia

Divulgação/UN Women

Fonte: Bolsa de Mulher