Chief Crow Daria/shutterstock

Depois de um longo tempo de relacionamento é normal perceber transformações na rotina entre quatro paredes que, normalmente, é motivo de insatisfação ou até mesmo certo constrangimento. Em um artigo para a edição norte-americana da revista “Glamour”, a especialista em sexualidade e relacionamento Andrea Syrtash revela quais são os 4 detalhes sobre a própria vida sexual que a grande maioria dos casais não admite:

1. Casais agendam o sexo

A falta de tempo obriga os casais a perderem um pouco da espontaneidade ao marcar no calendário os dias e horários que vão transar. A especialista afirma que relatos ouvidos em seu consultório mostram que a atitude pode ser positiva, já que evita desencontros que acabam afastando completamente as possibilidades de sexo.

Mathee saengkaew//Shutterstock

2. Chantagem por sexo

Andrea conta que não é raro ouvir de pacientes que elas fazem uma espécie de barganha em troca de sexo. Por exemplo, uma mulher que diz ao marido que só vai transar ou realizar determinada fantasia ou posição se ele consertar ou limpar algo na casa. Se encarada como uma espécie de brincadeira, a especialista afirma que a prática pode ser divertida e até apimentar a relação com jogos de sedução.

3. Masturbação no casamento

Muitas pessoas acreditam que, somente por estar comprometidas, não deveriam mais se masturbar. O prazer solitário é normal e saudável em um relacionamento e que não é preciso ter vergonha de admitir a prática. A expert ainda indica a possibilidade de casais se masturbarem juntos como uma forma sexy de preliminar.

6 sinais INEGÁVEIS de que você é uma deusa na cama

tittos/iStock

4. Casais fazem comparações

Você não é a única que pode sentir inveja e fazer comparações sobre frequência, experiências e relatos sexuais de suas amigas. É normal que os casais façam tais medidas, mas sempre lembrando que não é possível, de fato, saber o que acontece de verdade na relação alheia e que a comparação não pode ser base para o seu próprio relacionamento íntimo.

Fuja dos equívocos: 

Fonte: Bolsa de Mulher