Ritmos diferentes, falta de tempo para o outro e se deixar levar pela rotina são a essência do que pode chegar a separar um casal. Não por serem de sobra conhecidos (e em alguns casos comprovados), esses pequenos motivos são menos habituais. É só consultar alguns casais que passaram por rupturas para descobrir razões óbvias para a morte de uma relação a dois. A seguir, conheça os cinco comportamentos mais clássicos que levam ao fim de um casal recém formado.

1. Ir com muita pressa. Duas pessoas se encontram, acendem uma faísca, passam a noite juntos e tudo vai bem. A química é evidente, parece que se conhecem de toda a vida e são almas gêmeas. No entanto, nada disso é suficiente para decidir se partilhar uma vida sem que se esforcem para conhecer melhor um ao outro. Em geral, é melhor ir devagar e deixe o relacionamento evoluir.

2. Ir devagar demais. Uma vez que o casal estabeleça quais são seus interesses e aspirações e considerem que têm uma relação forte, as coisas devem avançar física e emocionalmente. Se nada acontece, é questão de tempo que haja desmotivação ou falta de interesse.

3. Não encontrar tempo para estarem juntos. Todo mundo tem as horas contadas e a agenda cheia, mas a única maneira de mostrar que a outra pessoa é importante para você é passando tempo juntos. Relacionamentos precisam de cuidados constantes para prosperar e seu parceiro deve sentir que é especial para você, e não mais uma atividade a ter que cumprir.

4. Achar que tudo está feito. Lembre-se do início do relacionamento, quando você se esforçava para seu companheiro se sentir especial. Se esse sentimento é perdido e substituído pela rotina ou pela ideia de que está tudo feito e seu parceiro garantido, o relacionamento vai acabar por água abaixo. Além disso, nenhuma relação é completamente garantida.

5. Não ter uma vida fora do casal. Uma relação não deve raptar as vidas de seus membros, mas para complementar e adicionar felicidade e companheirismo. Se você sacrifica seus amigos, seus hobbies e seus interesses por um relacionamento, você entra em um buraco, em seguida, se tudo dar errado, ninguém vai poder ajudá-la.

Fonte: Bolsa de Mulher