Você tem sucesso, mas vive com medo de que algum dia descubram que você é uma fraude. É como você se sente, mesmo tendo alcançado sucesso profissional. No fundo, você vive com a angústia de não saber o que diabos você está fazendo. Você está convencida de que você não tem ideia alguma de nada e que um dia irão desmascará-la.

O que é Síndrome do Impostor?

Ao quadro que acabou de se descrever é dado o nome de Síndrome do Impostor. O termo foi cunhado na década de 1970 por dois terapeutas da Universidade Estadual da Geórgia, nos Estados Unidos, que o usaram para descrever como se sentia um grupo de mulheres que, apesar de terem alcançado sucesso profissional, acreditavam secretamente que nenhuma delas era capaz nem à altura do que os outros esperavam delas.

De acordo com este estudo realizado pelos psicólogos Jaruwan Sakulku e James Alexander, compartilhado pela revista Harpers Bazaar espanhola, 70% das pessoas já experimentaram esse sentimento em suas vidas. Muitas celebridades confessaram, inclusive, terem sofrido a síndrome no auge de suas carreiras.

Kate Winslet disse em entrevistas que acordava pela manhã e, antes de ir para o set, não podia evitar o pensamento: “eu não posso fazer isso. Eu sou uma fraude”. Emma Watson também explicou se sentir assim depois de terminar a saga Harry Potter.

A comediante Tina Fey vai um pouco mais longe e inclui o papel do ego em sua descrição de como ela mesma sofre ao mesmo tempo com o quadro. “A beleza da síndrome do impostor é que você oscila entre a extrema egomania e sensação de que você é uma fraude. Então você tenta manter o ritmo com a egomania quando ela chega e você até a desfruta, e logo depois sofre com a ideia de você é uma fraude”.

Mesmo gênios podem sofrer. Um mês antes de sua morte, Albert Einstein confessou a um amigo: “a exagerada estima que tenho que trabalho que eu fiz na minha vida me faz me sentir muito inquieto. Estou inclinado a pensar em mim mesmo como um vigarista involuntário.”

Visto que nem os mais sábios escapam dessa síndrome, convém lembrar que a ignorância é ousada (e confiante). Bertrand Russell a explicou muito: “O problema da humanidade é que o estúpidos estão seguros de tudo e os inteligentes, cheios de dúvidas.”

1. Tenha em mente que você não está sozinha com esse medo. Até Einstein o tinha.

2. Não rejeite ou ignore elogios. Você tem que começar a acreditar nas coisas boas que dizem sobre você.

3. Faça uma lista de suas falhas. A estrada para o sucesso é cheia de falhas e eles são tão ou mais importantes do que as realizações.

4. Não deixe o medo paralisar você. Não deixe que o seu medo de ser desmascarada possa intimidá-la de se desenvolver, evoluir. Você tem que se atrever, sem pensar nos outros.

5. Toda vez que você sentir que sua confiança está indo para o ralo, lembre o quanto você teve que trabalhar, o quanto você teve que se esforçar para alcançar algo concreto. Concentre seus pensamentos e veja que a recompensa só foi possível graças ao esforço que você fez.

6. Pare de se comparar com os outros. Se você mede sua satisfação sempre comparando a dos outros, você vai viver em uma eterna insatisfação. As virtudes dos outros não precisam ofuscar as suas.

Fonte: Bolsa de Mulher