PathDoc/Shutterstock

Quem tem filhos pequenos conhece o sentimento de surpresa e até mesmo certo constrangimento que surge quando eles fazer perguntas difíceis sobre assuntos que os pais sequer imaginavam que podiam se passar pelas cabecinhas dos pequenos. Depois do susto inicial, você sabe a maneira certa de agir?

Antes de mais nada vale lembrar que a curiosidade é algo comum durante a infância e que os questionamentos nunca devem ser reprimidos. Explicar de maneira simples e com naturalidade alguns fenômenos pode ser menos complicado do que você imagina. Confira algumas perguntas que toda criança vai fazer e dicas de como respondê-las:

www.BillionPhotos.com/ShutterStock

Como os bebês vão parar na barriga das mães?
A dúvida clássica das crianças pequenas normalmente é saciada com uma explicação simples. Você pode dizer somente que o papai colocou uma sementinha dentro da mamãe ou que quando um home e uma mulher se amam, eles juntam os corpos e criam um bebê. Evite histórias fantasiosas de cegonhas, repolhos e afins para não gerar ainda mais desinformação e dúvidas.

Por que as pessoas morrem? Para onde elas vão?
A resposta pode ser mais complexa por depender das crenças e religiões de cada família. O ideal é dar uma explicação genérica, evitando fantasiar demais ou mesmo criar histórias de que a pessoa fez uma viagem e não voltará, por exemplo, que pode provocar insegurança e angústia aos pequenos.

wavebreakmedia/Shutterstock

Por que alguns homens beijam homens e mulheres outras mulheres?
Não é preciso se constranger ou mesmo dar discursos longos sobre a tolerância. Diga apenas ao seu filho que nem todas as pessoas são iguais, que cada um tem um gosto próprio e que é importante apenas respeitar a maneira de amar de todos.

Por que as meninas não têm pipi?
Explique para a criança as diferenças físicas entre homens e mulheres, sem precisar dar grandes detalhes para que no futuro ela tenha facilidade de compreender de forma melhor as complexidades das diferenças de gêneros.

Sofi photo/Shutterstock

Por que o papai não mora com a gente?
Se o caso foi de divórcio, não tente mascarar a situação e apenas explique que o papai e a mamãe não conseguiam mais manter uma relação, que não é culpa de ninguém, e que o fato não muda de forma alguma o amor que ambos têm pelos filhos.

Por que algumas pessoas são pobres e vivem na rua?
Tente explicar que existem muitos motivos possíveis pelos quais aquelas pessoas estão morando fora de casa e vivendo nas ruas e sob pontes, como, por exemplo, ela ter ficado sem dinheiro para cuidar da própria casa, etc. Neste momento, vale ainda dizer que essas pessoas também precisam de respeito e ajuda.

Psicóloga ensina as dicas para educar:

Fonte: Bolsa de Mulher