Gabriel Araújo Marins Rodrigues, mais conhecido como Biel, de 20 anos, foi denunciado por assédio sexual na 1ª Delegacia da Mulher de São Paulo por uma repórter do Portal iG, que acusa o cantor, entre outras ofensas, por chamá-la de “gostosinha” e dizer que a “quebraria no meio” caso tivessem uma relação sexual.

As declarações foram dadas durante uma entrevista em maio de 2016, que foi gravada em áudio e vídeo. Os arquivos já estão com a polícia para servirem de provas durante o processo de investigação.

Caso de assédio

De acordo com o Portal iG, na gravação é possível ouvir a repórter revelar ao cantor que tem quase a mesma idade dele e Biel respondendo que “idade não significa nada. Se te pego, te quebro no meio”.

Durante a gravação em vídeo, o celular do cantor toca e ele pede para a jornalista atender. Ela explica que Biel está concedendo uma entrevista, que retornará mais tarde e devolve o aparelho para o artista.

Em seguida, ele faz uma ligação em vídeo para a mesma pessoa e, diante da repórter de 21 anos, que prefere não ser identificada, afirma que a jovem é “ramelona”, mas pede para que o amigo “dê um desconto”, porque ela é “gostosinha”.

Ainda segundo o portal de notícias em que a jovem trabalha, em outros momentos do vídeo, ele usa palavras de baixo calão para se referir à repórter e para responder a uma pergunta feita por ela.

Outra versão do caso

Após a repercussão da história, o cantor Biel usou sua conta no Instagram para se defender das acusações. Na legenda no post, ele disse não conseguir entender “como não levaram na brincadeira”.

Ele argumenta que duas das pessoas mais importantes de sua vida são mulheres e, na tentativa de invalidar as críticas, afirma que não é machista, pois “nem homem se considera ainda” para ser prepotente ao ponto de ser machista.

“Sou um menino, menino que brinca, menino sem papas na língua, menino que sorri… Infelizmente a felicidade acompanhada do sucesso incomoda, coisa que não deveria…”, escreveu.

O que é assédio sexual?

O que há de errado com as declarações de Biel?

O abuso sexual não, necessariamente, envolve violência física. Trata-se de qualquer forma de constrangimento sobre um indivíduo em situação de inferioridade.

Para a Organização das Nações Unidas (ONU), “qualquer ato de violência baseado no gênero que resulte ou pode resultar em dano físico, sexual ou mental ou sofrimento à mulher, incluindo ameaças de tais atos, coerção ou depravação arbitrária de liberdade, tanto na esfera pública quanto privada” é considerado violência contra a mulher.

A delegada responsável por investigar o caso de Biel, Giovanna Valenti, declarou ao iG que há fortes evidências que a repórter tenha sido vítima.

“Não consigo entender como não levaram na brincadeira”

O assédio sexual é crime e pode ocorrer por meio de atos, insinuações, verbalizações, contato físico forçado e até mesmo convites impertinentes. Piadas de cunho sexual que expõem e envergonham a vítima, investidas invasivas e até cantadas na rua se enquadram.

Apesar de Biel considerar suas declarações como brincadeiras inofensivas, além de deixar a vítima envergonhada perante o cantor, ainda a expôs diante dos outros profissionais de imprensa que o entrevistavam ao lado da jovem.

“Dá um desconto porque ela é gostosinha”

Chamar uma mulher de “gostosinha”, dependendo do contexto, é um tipo de assédio. Além disso, trata-se também de uma violência moral, já que usar palavras de baixo calão para se referir a uma mulher, se configura em tentativa de humilhação e agressão verbal.

“Idade não significa nada. Se te pego, te quebro no meio”

A expressão indica uma forma violenta de ato sexual. A declaração também extrapola a relação entre repórter e entrevistado, além de ser proferida em tom ameaçador, já que só é possível “quebrar o outro”, supondo que um dos dois é mais forte do que o outro.

Repercussão da denúncia de assédio sexual

No mesmo dia em que ofendeu a repórter, em maio, Biel também deu declarações para o Portal It Pop, que só foram divulgadas nesta segunda-feira (6). Ele teria dito que para “pegar um homem”, uma mulher só precisa “abrir as pernas”. De acordo com o portal, eles não divulgaram antes a entrevista porque se sentiram incomodados com as declarações do cantor. 

Em março deste ano, Biel virou alvo de outra polêmica ao falar sobre a então namorada, a youtuber Flávia Pavanelli. Ele afirmou que fez a jovem desistir de um trabalho por conta do ciúme do cantor.

Em entrevista ao site Extra, o pai do funkeiro, Sérgio Rodrigues, afirma que o que aconteceu não se passou de uma palhaçada que qualquer “moleque numa rodinha faz” e ainda acusa a repórter de se aproveitar da situação.

Violência contra a mulher

O levantamento “Violência contra a mulher: o jovem está ligado?” feito em 2014 pelo Instituto Avon em parceria com o Data Popular apontou que 78% das 1.029 mulheres disseram que já passaram por algum tipo de assédio.

Entre elas, 68% afirmaram já ter recebido cantadas ofensivas e 44% disseram que já foram abordadas de maneira violenta em festas e baladas.

Dos 1.017 homens que responderem à pesquisa, 24% admitiram que já praticaram esse tipo de ação.

Como denunciar

Mulheres vítimas de assédio sexual devem ligar para a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência discando 180. A ligação é gratuita, anônima e a central funciona 24 horas por dia, inclusive aos fins de semana e feriados.

Além disso, também é possível registrar um boletim de ocorrência contra o agressor em qualquer delegacia ou na Delegacia de Defesa da Mulher.

Fonte: Bolsa de Mulher