Anna Gordeychuk/Shutterstock

Um bebê italiano foi hospitalizado com um quadro de desnutrição por seguir uma dieta vegana promovida por seus pais – na qual, além de carne, qualquer comida com origem animal, como ovos ou leite de vaca, é proibida. O menino, que não teve o nome divulgado pela imprensa internacional, tem 1 ano e 2 meses, mas, segundo o site italiano Local It, pesava apenas 5 kg, “o peso de uma criança de três meses”.

Apesar de não ser informado se o bebê era amamentado pela mãe, a imprensa reportou que ele chegou ao hospital, em Milão (Itália), com baixos níveis de cálcio no organismo, “apenas o suficiente para sobreviver”. A desnutrição teria agravado um problema pré-existente no coração da criança, que precisou passar por uma cirurgia para contornar irregularidades no batimento cardíaco. O bebê foi retirado da custódia dos pais e segue se recuperando.

Entenda mais sobre o caso e por que este tipo de dieta restritiva levou a um desequilíbrio de nutrientes no corpo do menino, levando-o à beira da morte.

É sabido que uma boa alimentação é o principal fator para garantir o crescimento saudável do bebê. O desenvolvimento mental e físico da criança também depende da sua dieta e, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o leite materno é indicado como único alimento até os seis meses do bebê.

Embora não se saiba se, neste caso, o bebê italiano era amamentado pela mãe, a deficiência de nutrientes se deu, segundo médicos que o atenderam, pelo fato de os pais não oferecerem suplementos vitamínicos que compensassem a falta de alguns nutrientes à criança. Isto significa que seguir uma dieta vegana não foi, por si só, a causa da desnutrição do garoto; o problema foi a falta de suporte para mantê-lo saudável com complementos nutricionais.

Não há informações, entretanto, sobre que tipo de alimentação a criança estava seguindo, se havia oferta de papinhas ou pedaços de alimentos como frutas e verduras.

“Não há problema nenhum em escolher um tipo de nutrição diferente ou não usual para as crianças”, avaliou o diretor de pediatria do hospital que o recebeu, Luca Bernardo, para o jornal britânico Daily Telegraph. “Nós certamente não queremos entrar na discussão do mérito dessa decisão. Mas, desde o nascimento, o bebê deveria ter tido suporte de cálcio e ferro”.

Nutrição dos bebês

No organismo, o cálcio é responsável por ajudar na coagulação no sangue e na manutenção e crescimento dos dentes e dos ossos. A partir do momento que o bebê passa a consumir alimentos sólidos, este mineral pode ser encontrado na couve, cebola crua, salsa, nabo, alcachofra, beterraba e em vegetais escuros.

Já o ferro é importante para o desenvolvimento físico e intelectual do bebê. Alimentos como lentilha, feijão e castanhas são potentes fontes deste mineral.

Outros casos

De acordo com o jornal norte-americano The Washington Post, este não é o primeiro caso em que um bebê corre sérios riscos de saúde por conta de uma dieta restritiva na Itália. Em um caso recente, uma menina vegana de 2 anos permaneceu hospitalizada por deficiência de vitaminas no corpo e baixa quantidade de hemoglobina. Outro bebê, de 11 meses, ficou internado por desnutrição, em Florença.

Em 2007, um casal norte-americano teve prisão perpétua decretada por conta da morte do filho de seis semanas de vida, que só era alimentado com leite de soja e suco de maçã. Em 2001, um casal francês foi acusado de negligência infantil depois que o bebê morreu por deficiência de vitaminas aos 11 meses.

Bebê vegano: como alimentar

OM/Shutterstock

Em um artigo publicado no site Eat Right (tradução, Coma certo), a Academia de Nutrição e Dietética dá orientações para os pais que querem manter uma dieta vegana para as crianças de maneira saudável:

– Até os seis meses da criança, ela deve ser alimentada apenas com leite materno. Use uma fórmula fortificante com ferro (a soja, por exemplo, é uma fonte rica desse nutriente) caso a amamentação seja interrompida ou diminua a frequência.

– A entidade orienta que o desmame seja feito com leite de soja fortificado com cálcio, vitamina B12 e D (que pode ser oferecida com suplementação medicamentosa até os 18 meses) .

– A introdução alimentar sólida deve ser feita com papinhas, que podem ser preparadas com cereais, grãos, verduras, legumes e óleos.

– A ingestão de frutas também é indicada – tanto para crianças veganas quanto para aquelas que não seguem nenhuma dieta restritiva.

– Leite de vaca, que já é excluído da dieta vegana, além das variações caseiras, como leite de soja e de arroz, não são recomendados no primeiro ano de vida do bebê, pois têm “proporções erradas de proteína, gordura e carboidrato”.

Fonte: Bolsa de Mulher