Recentemente, foi aprovado pelo Food and Drug Administration (FDA) – órgão governamental dos Estados Unidos que regula a comercialização de equipamentos médicos – um novo aparelho para emagrecer. Instalado dentro do estômago, a promessa é que ele aspire parte da comida ingerida, impedindo que ela seja digerida e cause ganho de peso. Mas seu uso está gerando algumas controvérsias. Entenda melhor a seguir.

AspireAssist: o que é o aparelho que aspira comida do estômago? 

O cirurgião especializado no sistema digestivo Josemberg Campos, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, explica que existem diferentes tratamentos para a obesidade. Além de dieta, atividades físicas, remédios e até da própria cirurgia bariátrica, há os tratamentos endoscópicos, que são aqueles feitos através da endoscopia.

Os tratamentos endoscópicos são aqueles realizados por endoscopia, ou seja, a intervenção no estômago é feita com um equipamento colocado através da boca e do tubo digestivo. Um exemplo desse tipo de abordagem é o balão intragástrico, que preenche parte do estômago, diminuindo o apetite e aumentando a saciedade.

O mais recente método endoscópico que chega ao mercado é o AspireAssist, da marca Aspire Bariatrics, que acabou de ser aprovado pelo Food and Drug Administration, o órgão governamental regulatório de equipamentos médicos dos Estados Unidos.

Como funciona? 

O equipamento é formado por um tubo interno, que fica dentro do estômago e se conecta a um botão que fica na pele da parte de fora do abdômen, e por uma parte externa, que é conectada só na hora da aspiração e composta por um reservatório de água e duas válvulas.

O acionamento de uma dessas válvulas, que fica junto ao “botão” abdominal, permite a saída do alimento do estômago – cerca de um terço do alimento ingerido, segundo o fabricante –, que deve ser eliminado diretamente no vaso sanitário. A outra permite que a água, que antes estava no reservatório, flua para dentro do estômago e remova partículas de alimentos que eventualmente fiquem presas.

A remoção do alimento ainda no estômago impede sua absorção no intestino e, portanto, leva ao emagrecimento. O processo deve ser feito de 20 a 30 minutos após a refeição e, ao todo, leva de 5 a 10 minutos.

Assista ao vídeo explicativo:

Como o AspireAssist é colocado

De acordo com o site da marca, o procedimento para colocar o AspireAssist dura em média 15 minutos e o retorno do paciente para casa ocorre em cerca de duas horas. A cirurgia não necessita de uma anestesia geral e é muito similar ao procedimento de gastrostomia para alimentação.

O médico Josemberg explica que esse procedimento é feito aqui no Brasil com o nome de gastrostomia endoscópica em pacientes com desordens neurológicas que não conseguem comer pela boca e precisam se alimentar por meio dessa sonda, que, no caso, leva comida do ambiente externo através da pele para o interior do estômago. A comunicação do estômago com a pele, independente da finalidade, é chamada de gastrostomia.

Emagrece mesmo? 

De acordo com um estudo realizado pela marca nos Estados Unidos, com 171 pessoas, aqueles que usaram o AspireAssist emagreceram 3 vezes mais que quem apenas recebeu o aconselhamento sobre estilo de vida. Aqueles que aprenderam a fazer escolhas saudáveis e aspiravam regularmente perderam 100% do excesso de peso.

Ainda de acordo com a Aspire Bariatrics, a perda de peso ideal é de 1 kg por semana, mas nas primeiras semanas o emagrecimento tende a ser ainda mais acelerado.

O cirurgião Josemberg Campos explica que o resultado pode variar de acordo com o tipo de obesidade, sendo mais eficaz em pessoas com obesidade grau 1 e 2 do que naqueles com obesidade grau 3 e Índice de Massa Corpórea (IMC) superior a 40 – casos em que a cirurgia bariátrica traria melhores resultados.

Além disso, o médico explica que o tratamento endoscópico não costuma ser definitivo. “No caso do balão intragástrico, por exemplo, depois que ele deixa de ser usado, a tendência é que o ganho de peso recomece”, conta.

É seguro? 

Josemberg Campos explica que para que qualquer procedimento médico seja aprovado pelo FDA, é preciso que haja um estudo científico bem feito sobre o produto. No entanto, o médico conta que, aqui no Brasil, ainda não foi feito nenhum estudo clínico com um número grande de pacientes para afirmar se esse método é adequado ou não.

“Considerando esse estudo [apresentado ao FDA], ele mostrou que esse procedimento apresenta alguns benefícios no controle da obesidade e doenças metabólicas, como diabetes. No entanto, nós temos que avaliar uma série de outros fatores, como quais são as doenças e qual o índice de massa corpórea que se beneficiam dele, por exemplo”. 

Riscos 

Bulimia

A bulimia é caracterizada pela ingestão excessiva de alimentos seguida de vômitos. A crítica mais comum ao AspireAssist é a possível semelhança com esse quadro, mas ao invés de vomitar, o indivíduo faria a aspiração sempre depois de comer excessivamente.

Josemberg Campos explica que, como ainda não temos estudos de longo prazo com o aparelho, não podemos afirmar que ele aumenta a ocorrência de bulimia. Além disso, ele lembra que antes de iniciar qualquer tratamento para a obesidade, é necessário que haja uma avaliação do estado psicológico do paciente e a tendência a ter bulimia. Quando ela existe, o paciente não deve optar pelos métodos endoscópicos.

Vazamento e problemas de pele 

O médico explica que como a gastrostomia não é uma novidade, já é possível prever alguns efeitos colaterais do AspireAssist, como infecção da pele e a saída de líquido ao redor da sonda, que pode causar dermatite e desconforto.

Distúrbios hidroeletrolíticos e desnutrição 

Caso o paciente realize mais aspirações do que o recomendado e não siga as orientações da equipe médica, poderá haver desequilíbrio dos eletrólitos, como potássio, sódio e cálcio, importantes para diversas funções corporais, como a manutenção do ritmo cardíaco normal. Outro desfecho desse mesmo hábito é a diminuição da absorção de nutrientes. Para evitá-lo, é preciso visitar o médico e fazer exames regularmente depois de colocar o AspireAssist.

Entupimento da sonda 

É preciso mastigar bem os alimentos para evitar que algum deles entupa a sonda e, consequentemente, impeça a saída dos alimentos. Caso isso aconteça, pode ser necessário trocar a sonda.

Fonte: Bolsa de Mulher