Para anunciar a gravidez, Kelly Key fez um vídeo direcionado aos seus fãs e compartilhou com eles como estava sendo a gestação. Na gravação, ela contou que está muito feliz com a novidade e que diferentemente das outras vezes, conseguiu engravidar sem dificuldade. Além disso, ela também relembrou dois abortos que sofreu, um antes de ter a filha Suzanna, de 15 anos, e outro antes do nascimento do seu segundo filho, Vitor, de 11 anos.

Abortos espontâneos

“Eu sofri, eu fiquei triste e desta vez eu acabo que não passo por isso, graças a Deus. Tá indo tudo superbem”, comentou logo após o anúncio da nova gestação.

Agora, a cantora acaba de publicar um outro vídeo em que responde a algumas perguntas relacionadas à gravidez, que foram feitas por seus seguidores, e uma delas foi justamente sobre seus abortos espontâneos. A fã pediu dicas de como passar por esse momento difícil e não deixar o medo de perder o bebê novamente atrapalhar a gestação seguinte.

Kelly foi bastante sincera em sua resposta ao dizer que até hoje fica nervosa ao fazer ultrassonografia com medo de descobrir que o bebê não está bem, já que foi por meio do exame que descobriu o último aborto.

“A última vez que eu perdi foi muito chato. Eu fui fazer uma ultrassonografia, eu talvez fosse ver até o sexo, mas o bebê não tinha evoluído. Eu fiquei com tanto medo disso acontecer de novo e eu não vou negar que até hoje eu entro na sala de ultrassonografia com o coração na boca”, relata.

Como superar o trauma

Em seguida, Kelly complementou dizendo que é uma situação muito forte e que mulheres que passam por isso, maridos e familiares precisam ter muita paciência, porque é um momento muito delicado e tenso, principalmente para quem já sofreu outro aborto antes.

A cantora disse que comprou um aparelho que permite escutar o coração do bebê para ficar mais tranquila nos primeiros meses da gestação, quando ainda não é possível sentir o bebê se mexendo.

“Se eu já tive um aborto na [gestação] passada, tive dois filhos saudáveis, acho que a probabilidade de ter um novo aborto é muito menor, então eu vou me pegando nisso, vou me pegando também que eu estava me planejando para o final do ano, mas Deus me deu esse presente agora, então por que ele tiraria de mim? Eu fico me perguntando essas coisas também”, diz sobre sua maneira de controlar o medo.

Fonte: Bolsa de Mulher