por Paulo Nobuo

Yuriy Rudyy/Shutterstock

Questões relacionadas a “palmadas educativas” nunca saem de moda e invariavelmente se transformam calorosos temas de discussões que envolvem pais, professores e psicólogos. Há quem defenda e muitos que recriminam a prática de bater nos filhos como forma de educação, e uma análise realizada pela psicóloga Elizabeth Gershoff através de uma série de estudos indica que crianças que apanham podem se tornar adultos agressivos.

Em entrevista ao site de ciência e saúde “Vox”, a especialista conta que passou 20 anos debruçada sobre trabalhos científicos que avaliaram comportamentos de crianças que foram submetidas a palmadas durante a infância e que não existe qualquer relação entre bom caráter e boas maneiras e uma palmada dos pais.

Twin Design/Shutterstock

Por outro lado, segundo a psicóloga, estudos mostram que violência contra crianças muitas vezes está associada a isolamento social, comportamento agressivo e doenças físicas e mentais na vida adulta.

Elizabeth afirma que a agressão pode ser compreendida pela criança como uma forma de resolver problemas: “A violência muda as relações e as dinâmicas de poder, podendo fazer o pequeno acreditar que pode bater em alguém se tiver este poder. Então, a criança ainda pode aprender que para ter o que precisa e deseja, basta ser agressivo”, explica.

Como educar crianças: 

Fonte: Bolsa de Mulher