tainamuller/Instagram

O primeiro filho da atriz Tainá Muller nasceu prematuro e, depois de quatro dias no hospital, ela e o pequeno Martin foram para casa. Em suas redes sociais, a famosa publicou uma foto que registra a mãozinha da criança e acalmou os fãs sobre os primeiros dias de vida do bebê e seu “susto inicial”, pois ele nasceu de oito meses.

Ontem foi meu aniversário, exato dia em que cheguei em casa com meu pacotinho 👶🏻 E eu que nunca pensei que um dia usaria a hashtag #PresenteDeDeus, aqui vai. 🙌🏼 Martin, apressadinho, chegou um pouco antes do tempo. O susto inicial passou quando percebemos que oito meses era o tempo dele. Nosso pequeno veio cheio de força e saúde, despertando o orgulho e admiração de papai e mamãe já nos primeiros dias de vida. Vai Tintin! Pra você nada será impossível. Vai que o mundo é teu, meu amor 💙

Bebê prematuro: até quando é considerado?

Segundo o pediatra Renato Kfouri, em entrevista, bebês prematuros são aqueles que tiveram menos de 37 semanas de gestação. Depois do parto, cada recém-nascido deve ser cuidado de acordo com suas necessidades.

Um bebê que nasce com menos de 30 semanas é chamado de prematuro extremo. Nestes casos, pode haver necessidade um afastamento inicial da mãe e do bebê, que poderá passar por procedimentos como aspiração das vias aéreas e intubação orotraqueal, para que ele possa respirar com auxílio de aparelhos chamados ventiladores mecânicos.

Bebê prematuro de 8 meses

(R)evolução. #8

A post shared by Tainá Müller (@tainamuller) on

Um dos mitos em que se acredita é que o nascimento de um bebê de 8 meses é mais perigoso do que se ele tivesse vindo ao mundo aos 7 meses.

Esta tese não é verdadeira. Isto porque cada dia dentro do útero é fundamental para o desenvolvimento do feto e, por isso, um bebê que nasce com oito meses está exposto a menos riscos que aqueles ainda mais prematuros.

“Cada semana que conseguimos manter um bebê no útero muito provavelmente diminui seu tempo de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo)”, destaca o ginecologista e obstetra Alberto Guimarães.

Riscos do nascimento prematuro

Um dos principais perigos para a criança é o de desenvolver dificuldades respiratórias e complicações neurológicas. Para evitar sequelas, é fundamental que seja acompanhado por profissionais bem treinados, em uma UTI equipada, nos primeiros dias de vida.

O bebê também pode ter dificuldade em controlar a temperatura corporal e, por isso, pode ser necessário que fique dentro de uma incubadora.

Outro risco possível é a impossibilidade de mamar. Nesse caso, a criança deve ser alimentada por uma sonda ligada ao estômago. Existe ainda o perigo de déficit no crescimento e desenvolvimento.

Vale lembrar, no entanto, que nem todos os bebês prematuros passam por essas complicações. Elas podem variar a depender do peso da criança ao nascer, idade gestacional no momento do parto e outras variáveis.

Como evitar parto prematuro

Algumas causas do parto prematuro, como pressão alta e infecções urinárias e genitais, podem ser identificadas e tratadas ainda durante o pré-natal. Por isso, é importante que a gestante permaneça acompanhando o desenvolvimento do feto e sua saúde durante toda a gestação.