aquariagirl1970/Shutterstock

O hábito de tomar leite e a relação do alimento com a infertilidade feminina foram assuntos de comentário da apresentadora e culinarista Bela Gil, conhecida pelas trocas alimentares saudáveis. Em um vídeo publicado em seu canal no Youtube, a famosa, que acaba de ter seu segundo filho, Nino, indicou o que as mulheres devem mudar na dieta para engravidar.

De maneira enfática, ela deu um conselho a uma seguidora: não tomar leite. Segundo Bela, a bebida e seus derivados “não fazem bem” para o sistema reprodutor feminino. Será que a dica é válida?

Para tirar todas as dúvidas sobre o tema, consultamos a endocrinologista e nutróloga Vânia Assaly, que nos contou que o assunto é polêmico e gera controvérsias no meio científico.

Apesar de a especialista indicar que há estudos científicos fortes que até eliminam o leite da pirâmide alimentar dos indivíduos, Vânia pondera que é preciso cautela na associação do consumo da bebida com a dificuldade de engravidar.

Saiba mais sobre o assunto e quais são as alternativas saudáveis para a questão.

Excesso de hormônios 

Bela Gil comentou que o leite pode fazer mal para o aparelho reprodutor – o que pode estar relacionado à quantidade de hormônios que a bebida tem ao ser produzida de maneira industrial, ou seja, em larga escala.

“O leite de vaca industrializado tem um estímulo excessivo de hormônios que, no nosso organismo, resulta em modificações nos receptores endócrinos, podendo ser causa de manifestações que atuam na infertilidade feminina, como a endometriose e a Síndrome do Ovário Policístico”, explica a médica Vânia Assaly, que ressalta que estes fatores também têm impacto negativo na fertilidade masculina.

Ela explica que o leite de vaca industrializado tem alta concentração de estrona, um hormônio produzido naturalmente em nossos ovários, mas que, neste caso, não é de boa qualidade para o sistema reprodutor.

“É importante destacar que isso não seria uma causa de infertilidade. Mas, pode ter uma interferência negativa na capacidade de reprodução da pessoa”, esclarece.

Vale lembrar que o leite de caixinha pasteurizado é originado de vacas que precisam oferecer o alimento em grande quantidade e rapidamente – para isso, são tratadas com hormônios e antibióticos que “implicam na nossa saúde e podem trazer modificações que não são reconhecidas pelo nosso sistema imunológico”.

Intolerância à lactose 

Albina Glisic/Shutterstock

75% da população adulta do Ocidente é deficiente na digestão de lactose

Mulheres que têm intolerância e alergias alimentares, especialmente em relação à lactose, presente no leite e derivados, podem ser mais propensas à infertilidade.

“Se intolerâncias alimentares estão principalmente relacionadas ao glúten e à lactose, presente no leite e derivados, e 75% da população ocidental adulta é deficiente na digestão da lactose, esse é um dado importante quando pensamos em causas de infertilidade feminina relacionadas à alimentação”, comenta a profissional.

Quando a mulher que é intolerante à lactose consegue engravidar, de acordo com Vânia, a possibilidade de abortamento é elevada, “uma vez que podem ocorrer alterações na parede do útero, dificultando a nidação do embrião e aumentando as chances de um aborto”.

Vânia destaca que os componentes do leite e o processo de pasteurização por qual ele passa também são elementos que aumentam os riscos das chamadas doenças em tecidos hormônio-dependentes.

“Com o excesso de estímulo hormonal provocado por essas propriedades do leite, há chances de maior desorganização dos tecidos da mama, ovário, útero e próstata”, explica.

Leite faz mal para quem quer engravidar? 

A endocrinologista pondera que, antes de a mulher decidir se vai ou não continuar tomando leite, deve avaliar todas as outras motivações que possam dificultar a gravidez.

“Quando o casal é infértil, é preciso pesquisar todos os fatores, como endometriose e a qualidade do esperma produzido”.

Ela considera, entretanto, que, por mais que o leite não seja um vilão da fertilidade, mulheres que adicionam a bebida e seus derivados na alimentação e já têm miomas ou endometriose têm mais dificuldade de engravidar.

Se você tem suspeita de intolerância à lactose ou algum problema de saúde que possa ser associado à infertilidade, procure profissionais especializados para definir a dieta adequada para seu quadro clínico.

Substituições 

Liljam/Shutterstock

Leite de amêndoa é uma das opções que podem ser feitas em casa

Leites vegetais e o de cabra podem ser opções saudáveis para a substituição do leite de vaca.

Vânia indica três tipos que você pode preparar em casa: leite de arroz, leite de amêndoa e leite de castanha.

Apesar de o de cabra ser mais caro do que o leite de vaca comum, os benefícios do leite de cabra o tornam uma bebida mais nutritiva. 

“Quando a mulher está em uma situação em que não se tem uma conclusão definitiva, é importante variar. Já se a mulher consome muito leite, é preferível reduzir a quantidade”.

o que comer para aumentar a fertilidade?

Fonte: Bolsa de Mulher