É natural que nos primeiros dias de amamentação a mulher se depare com desafios e dificuldades. Além da inexperiência, comum nos casos de mamães de primeira viagem, o fato de o bico não estar preparado e a mama muito cheia contribuem para que o bebê pegue o seio de forma errada e, assim, machuque.

Bela Gil, assim como tantas outras mulheres, passou por esse problema. Mas, não se desesperou e adotou a regrinha indicada pelos especialistas para tratar as mamas rachadas.

E meu quase nada… virou um melão! 😂🍼💙🙏🏽 agora é só alegria, mas até ontem era mta dor no peito e no bico do peito por causa da grande produção de leite e por causa da “pega” do Nino que não estava perfeita. Solução que me salvou: tirar o excesso com a bombinha (e congelar o leite) e tomar banho de sol (20 minutos, 2 vezes por dia). Depois de 2 dias fazendo isso as dores foram embora. Agora é só usufruir da doce delicia que é dar de mamar! Quem puder proporcionar ao seu filho, ou ao filho dos outros (mãe de leite) essa perfeição da natureza, estará fazendo um grande bem as nossas crianças. #ninochegou 💙💙💙

A culinarista contou que desde o nascimento de Nino, seu segundo filho, estava sofrendo com dores na mama. A solução que encontrou para o problema foi tirar o excesso de leite com a ajuda de uma bombinha antes da mamada e tomar sol duas vezes ao dia por 20 minutos. “Depois de dois dias fazendo isso, as dores foram embora. Agora, é só usufruir da doce delicia que é dar de mamar”, escreveu.

Causas

Embora o processo seja difícil, a maior causa das dores oriundas de fissuras e das úlceras nos seios é a pega errada do bebê.

Como solucionar o problema

Portanto, é acertando na pega que a amamentação pode ser tornar um processo mais fácil e prazeroso. Mas, para isso é preciso alguns cuidados.

Amaciar o bico

O primeiro deles é, antes de todas as mamadas, amaciar o bico. De acordo com Luciana Herrero, pediatra especialista internacional em amamentação, se a região estiver rígida, o bebê não consegue abocanhá-la totalmente, fator que intensifica os ferimentos. “Com o dedo polegar e o indicador, a mãe deve massagear a região até que ela fique mais molinha”, orienta.

Diminuir o tamanho do peito

Depois, é importante que a mama esteja “abocanhável”. É por isso que, caso ela esteja muito cheia, é importante fazer uma ordenham manual antes de colocar o bebê. “Com a própria mão, ela retira um pouco de leite até que o peite fique mais mole e dê para colocar toda a aréola na boca do bebê”, ensina a pediatra. O leite extraído pode ser descartado ou congelado para doações para bancos de leite ou mamadas futuras, como fez Bela Gil.

Acertar na pega

Por último, é imprescindível colocar o bebê de maneira correta no seio. Para acertar, a mãe precisa garantir que o pequeno esteja pressionando toda a aréola, e não apenas o bico. “A boca do bebê abocanha a aréola e o bico fica no fundo do céu da boca, naquela parte mais molinha”, explica. Além de não machucar, a posição ainda estimula os ductos de leite, responsáveis pela saída do alimento.

Tratamento para seios rachados

Caso a mama já esteja machucada, a recomendação da pediatra é esquecer pomadas e bicos de silicone, itens que deixam a pele da região ainda mais fina e atrapalham a continuidade da amamentação.

O corpo precisa de tempo para se recuperar e, por isso, o ideal é passar o próprio leite no machucado e ficar o maior tempo possível sem sutiã para que as fissuras fechem mais rapidamente. O banho de sol, solução também adotada por Bela Gil, ainda é recomendado para acelerar a cicatrização. “Pega correta, leite materno, banho de sol, paciência e descanso são os segredos para acabar com as fissuras e as dores”, finaliza a pediatra.

Relato de amamentação:

Fonte: Bolsa de Mulher