Uma técnica de bronzeamento vem ganhando destaque nas redes sociais após algumas famosas compartilharem fotos em suas contas. A última foi a ex-BBB Adélia, que mostrou para seus seguidores que escolheu usar a fita adesiva para criar marquinhas perfeitas. O procedimento foi feito na Bronzeamento Natural Spa & Bronze, mesmo lugar escolhido por Nicole Bahls para bronzear a pele, em Fortaleza. Conheça um pouco mais da técnica.

Bronzeamento natural

Bronzeamento de fita

Patrícia Lobo, a responsável pelo bronzeamento de Adélia, diz que primeiro a cliente escolhe o modelo e o tamanho do “biquíni” que deseja. Feito isso, Patrícia cola fita por fita no corpo da pessoa. Este primeiro passo demora de 10 a 15 minutos.

Para proteger as partes íntimas e os bicos dos seios são usados protetor diário e protetores de seios. Após colar as fitas, é passado um creme bronzeador antes da pessoa tomar sol.

“Este procedimento é ideal para quem quer privacidade e não gosta de ficar exposta na praia, já que o local que a mulher toma sol é dentro do spa. Além disso, ele garante uma marquinha de bronzeado perfeita”, explica Patrícia

O procedimento é feito apenas entre às 7h e 8h30, porque a radiação solar é mais saudável e prejudica pouco a pele.

As mulheres com pele branca devem ficar uma hora no sol por sessão, já as com pele morena podem ficar por uma hora e meia. As negras podem ficar até duas horas e meia, segundo Patrícia.

Ela recomenda três sessões para chegar ao bronze perfeito. O bronzeamento natural pode ser feito com intervalo de dois dias em mulheres com pele branca e um dia em morenas e negras.

Bronzeamento de 1 minuto: veja como é a técnica usada 

Para manter o bronzeado, a responsável pelo procedimento recomenda refazê-lo de 15 a 30 dias. Por se tratar de um procedimento natural, Patrícia comenta que só mulheres recém-operadas e com machucados na pele não podem fazer.

Cada sessão custa R$70, o pacote com 3 sessões sai por R$ 199,90 e a pessoa ainda ganha um banho de lua, que inclui descoloração dos pelos, esfoliação e hidratação no corpo e banho de espuma.

Enquanto a mulher faz o bronzeamento é servido suco de beterraba com cenoura para acelerar o bronze.

Bronzeamento artificial

Bronzeamento de esparadrapo

Uma outra alternativa é a técnica de bronzeamento com esparadrapo, que é comumente usada em clínicas de bronzeamento artificial. A preparação para esta técnica é muito semelhante à feita para o bronzeamento natural. As únicas diferenças são: utiliza-se esparadrapo em vez da fita e o bronze é feito em uma câmara de bronzeamento.

De acordo com a esteticista Alessandra Nascimento, da clínica Bronzeamento Brefany, cada sessão pode ser no máximo de 30 minutos e o procedimento não pode ser feito em gestantes, em pessoas muito brancas e que estão em pós-operatório.

Alessandra afirma que são poucas as clínicas que são registradas na Associação de Bronzeamento Artificial e que ir a clínicas clandestinas pode ser muito perigoso. Contudo, bronzeamento em câmara de bronzeamento é proibido no Brasil desde 2009.

“Tem que respeitar o tempo de bronzeamento, algumas pessoas ficam uma hora sob a radiação e isso não é certo porque pode causar queimaduras graves. Além disso, nem sempre as lâmpadas estão reguladas nestas clínicas”, explica.

Apesar da maioria das pessoas se submeterem ao procedimento apenas para ficar com a pele bronzeada, Alessandra comenta que pessoas com psoríase também fazem para tratar as manchas da pele.

Para ficar sempre bronzeada, Alessandra recomenda fazer a segunda sessão 15 dias após a primeira e depois fazer uma vez por mês para manutenção.

A apresentadora Geisy Arruda é frequentadora desta clínica, mas se bronzeia apenas durante o verão.

“Faço de novembro a fevereiro a cada 15 dias. Já tem uns dois anos que faço e acho muito bacana a técnica porque a marquinha fica perfeita e já dá para vê-la na primeira sessão”, comenta.

Na opinião de Geisy, outros benefícios do procedimento são não ter a preocupação de ficar se bronzeando na praia e poder usar diferentes modelos de biquíni sem ficar com várias marcas diferentes, isso porque como o corpo já está bronzeado, o sol não interfere nas marquinhas feitas com o esparadrapo.

Para não doer na hora de retirar o esparadrapo, Geisy diz que sempre se submete ao procedimento após se depilar.

Perigos do bronzeamento artificial

A cosmetóloga e esteticista Roseli Siqueira é contra o bronzeamento artificial porque a irradiação atravessa as células e destrói as células vivas.

A dermatologista Camila Simon explica que o bronzeamento artificial é mais prejudicial porque ele tem concentração de radiação UVA duas a três vezes maior que a luz solar (bronzeamento natural).

“15 minutos na câmara de bronzeamento pode equivaler a 3 horas de sol”, comenta Camila.

Além disso, a dermatologista Thais Pepe comenta que o fato da câmara de bronzeamento não possuir a camada de ozônio, os raios incidem diretamente na pele sem proteção nenhuma.

“A prática de bronzeamento artificial é proibida pela Anvisa, pois podem aumentar o risco de câncer de pele, o mais comum no Brasil. Os produtos regulamentados são: bronzeamento a jato e autobronzeadores, que contêm DHA, uma substância que reage com a queratina e proporciona a cor desejada”, comenta Thais.

O bronzeamento artificial aumenta os riscos de câncer de pele, envelhecimento acelerado da pele e aparecimento de rugas, manchas e flacidez.
“Se fizer o bronzeamento natural dosado, não tem problema, pois o sol traz benefícios: ele sintetiza a vitamina D na pele, ajuda a pessoa a rejuvenescer, faz bem para os ossos e é analgésico, pois relaxa e alivia a tensão dos nervos”, explica a dermatologista.

Cuidados ao fazer bronzeamento

Roseli explica que a exposição ao sol tem que ir aumentando de maneira gradativa. Se faz tempo que a pessoa não toma sol, ela não pode ficar exposta à irradiação por um longo período de tempo.

“É melhor tomar um pouco de sol no início da manhã, já que a irradiação passa paralela a pele. Depois do meio dia o sol é mais forte e atravessa a pele e, a partir desse momento, tem que se proteger, ficar em barraca, usar chapéus e se hidratar bastante, com água e sucos naturais”, explica. 

A dermatologista também não orienta o bronzeamento artificial e indica o uso de filtro solar 30 minutos antes da exposição ao sol, evitar se expor a radiação das 10h às 16h e aplicar hidratante após o bronzeamento. 

Fonte: Bolsa de Mulher