Dream79/Shutterstock

Quem está sempre lutando contra a balança e costuma experimentar diversas maneiras diferentes para perder peso certamente já ouviu falar na dieta cetogênica, plano alimentar  que tem no consumo de gordura sua principal fonte de energia, além da ingestão moderada de proteínas e quantidades mínimas de carboidratos. De acordo com a nutricionista funcional Patricia Davidson Haiat, a dieta cetogênica ajuda a reduzir a glicose, controlar o apetite e a compulsão por doces, turbina a produção de energia, clareza mental, redução de pressão alta e colesterol.

A especialista afirma que muitos destes benefícios são adquiridos pela limitação na quantidade de carboidratos, que é baixa comparada a uma dieta habitual. Quem está começando agora a seguir o regime e ainda não conhece opções de refeições, Patricia apresentou em seu perfil no Instagram uma sugestão simples de café da manhã cetogênico, constituído basicamente de café, omelete e abacate com chia:

A nutricionista alerta, no entanto, que a dieta deve ser seguida com a orientação de um profissional para não comprometer a saúde. Teoricamente, a dieta funcionaria como uma forma rápida de emagrecimento porque a falta de carboidratos forçaria o fígado a quebrar a gordura dos alimentos consumidos e do tecido adiposo do corpo.

No entanto, a dieta da moda que emagrece muito pode fazer seu cérebro “comer” ele mesmo quando feita de forma equivocada, já que, segundo um estudo publicado no “Brain, Behavior, and Immunity”, uma alimentação rica em gordura é capaz de afetar células cerebrais.

Dica para emagrecer: 

Fonte: Bolsa de Mulher