Thinkstock

Para uma pele com menos marcas de espinhas, faça compressas frias

Você pode ter sempre acreditado que um pouco de sol e calor minimizam o estrago de uma espinha até ler o que a dermatologista Jessica Wu compartilhou com o site da revista de beleza Allure. “Há uma razão para quando você tem um tornozelo ou joelho inchados e os médicos lhe dizem para fazer uma compressa gelada ou com gelo, mas não quente”, diz Wu.

É que, na verdade, o calor provoca mais inchaço. Por isso, a menos que você queira engordar suas espinhas ainda mais, prefira usar fontes frias para seu tratamento. A baixa temperatura vai diminuir a vermilhidão e ajudá-la a tornar a espinha menos perceptível. E, assim como você não iria colocar gelo diretamente sobre uma articulação inflamada (você deveria envolvê-lo em uma toalha), você não deve colocar nada direto do congelador no rosto que pode causar danos à pele.

Exposição solar e espinha

O sol também, em um primeiro momento, parece ajuda a melhorar a aparência da pele. Isso acontece porque a radiação solar causa um ressecamento na pele, deixando a espinha um pouco mais seca.

Normalmente, a acne aparece quando a produção de sebo sobre a pele é excessiva – muitas vezes acionada pelo desequilíbrio hormonal, mas também como uma resposta do organismo para recuperar a pele. Tudo porque a exposição ao sol deixa a pele mais densa e ressecada.

O organismo trabalha então para aumentar a produção de sebo e oleosidade para compensar a desidratação. Como a camada mais superficial da pele está mais grossa, também há uma obstrução maior dos poros, o que propicia ainda mais a formação da acne.

Espinha no couro cabeludo:

Fonte: Bolsa de Mulher