Antes de chegar ao vaso sanitário, as fezes percorrem todo seu sistema digestivo. Isso faz delas boas mensageiras do que acontece dentro do seu corpo. Portanto, depois da evacuação, dê uma boa olhada e repare se seu cocô está mole ou duro de mais. A seguir, nós te contamos o que cada uma dessas consistências significa.

O coloproctologista Alexandre Fonoff, coordenador do Centro de Coloproctologia do Hospital Samaritano (São Paulo), explica que as fezes são compostas por seis materiais: fibras vegetais indigeríveis, produtos nitrogenados derivados da quebra de proteínas, às vezes, um pouco de gordura, muitas bactérias intestinais, gases e água.

O cocô com uma ideal proporção desses componentes é cilíndrico e macio, tudo bem também se houverem algumas ranhuras em sua superfície. Mas alguns problemas no sistema digestivo podem afetar esse equilíbrio e deixar as fezes mais amolecidas ou endurecidas.

Cocô mole: o que causa 

O coloproctologista explica que, se há muita água dentro do intestino, que não reaproveitada, ou se há secreção de muco por irritação da mucosa, as fezes amolecem.

Isso pode acontecer em casos de diarreia, por exemplo, que tendem a durar até três dias. Se as suas fezes ficarem moles ou pastosas por mais tempo, o ideal é procurar ajuda médica. Nesse caso, pode haver alguma inflamação intestinal persistente, como a Síndrome do Intestino Irritável ou a Doença de Crohn, algum tipo de intolerância a componentes da alimentação e até a remédios.

Cocô duro: por que ele fica assim? 

Se a água é muito absorvida pelo organismo ou se houve pouca ingestão de líquidos, as fezes se ressecam.

Nesse caso, é preciso reavaliar a alimentação. É necessário que haja um balanço entre o consumo de água e fibras alimentares. Caso você consuma muitas fibras, mas beba pouca água, as fezes endurecerão. O mesmo acontecerá caso sua alimentação seja pobre em fibras.

Fonte: Bolsa de Mulher