Não é preciso que o homem tenha uma disfunção erétil para, eventualmente, perder a ereção. Como sabemos bem, o problema pode (e vai, pelo menos uma vez na vida) acontecer com qualquer pessoa. Mas como lidar com essa situação? Um novo levantamento perguntou a milhares de mulheres como elas agem se, na “hora H”, o parceiro não conseguir comparecer. Veja a seguir o que elas disseram e qual a melhor forma de encarar o episódio, segundo uma especialista.

Ele broxou: como as mulheres reagem?

A psiquiatra Carmita Abdo, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, realizou a pesquisa Mosaico 2.0 em parceria com a farmacêutica Pfizer e, entre os achados, descobriu quais são as principais reações das mulheres à falha do parceiro.

Das 1.470 mulheres entrevistadas:

– 31,3% das mulheres disse nunca ter passado por essa experiência;

– 25,3% disse ser compreensiva e conversar com o parceiro sobre o ocorrido;

– 18,8% disse que tentou estimulá-lo para que ele recuperasse a ereção;

– 4,8% finge que não percebeu;

– 2,9% fica sem graça, sem ação;

– 2,2% se sente culpada;

– 2,2% fica irritada.

Melhor forma de agir

É um problema de saúde?

A psiquiatra Carmita Abdo explica que, para o homem, não ter ereção, mesmo que haja preliminares e outras carícias, é o mesmo que não fazer sexo. Para a mulher essa dificuldade não tem o mesmo peso. No entanto, se o problema é recorrente, ambos devem encará-lo como um sinal de que algo está errado e buscar sua origem. “Para ele é vital, enquanto para ela a falha de ereção [recorrente] deveria ser mais valorizada, porque é um parâmetro de falta de qualidade de vida e saúde”, conta.

Vale lembrar que a perda de ereção pontual e isolada, devido ao consumo de álcool, cansaço ou mesmo estresse eventuais, não caracteriza por si só uma disfunção erétil. Porém, merece atenção caso ocorra outras vezes.

O que fazer?

O primeiro passo é avaliar as circunstâncias da vida, principalmente as preocupações, para entender os fatores que causaram a falha. Falar sobre esses problemas é fundamental para evitar que eles interfiram na vida sexual.

Caso o problema continue a incomodar mesmo depois de algumas semanas, o casal deve procurar ajuda de psicólogos e de médicos. Uma vida sexual ativa e de qualidade é fundamental para a saúde integral do indivíduo.

Além disso, a causa por trás da falha de ereção pode ser um problema de saúde como diabetes, depressão, ansiedade, hipertensão, alterações de próstata, entre outros. “Para se ter ideia, a falha de ereção aparece cerca de 4 anos do coração apresentar sintomas de doenças. Indo ao médico, o homem pode descobrir uma doença grave até 4 anos antes dos primeiros sintomas específicos”.

Fonte: Bolsa de Mulher