Muitos dermatologistas costumam indicar a depilação a laser para mulheres que podem pagar a realização do procedimento por se tratar de um método definitivo de eliminação dos pelos, eficaz e sem prejuízos para a pele.

Porém, ela não pode ser feita a qualquer momento e exige uma série de cuidados que quando não cumpridos, podem causar sérios danos à pele. Veja como funciona o procedimento e todas as dúvidas respondidas por especialistas.

Benefícios da depilação a laser

De acordo com o dermatologista Abdo Salomão, a depilação a laser consegue acabar de maneira definitiva com os pelos da região em que ela é feita. “Às vezes pessoas com problemas hormonais voltam a ter pelos em algumas regiões, mas a técnica costuma ser definitiva”, explica Abdo.

Além disso, o dermatologista André Braz comenta que a técnica é menos agressiva que a depilação convencional porque não existe tração com a pele e o laser age diretamente no pelo.

Depilação a laser: como funciona

Quando o feixe do laser é liberado sobre a pele, a melanina presente no pelo capta esta luz, a transforma em calor e, então, cauteriza a raiz do pelo. A cauterização só acontece quando o pelo está na fase anágena, ou seja, durante a etapa de crescimento normal.

O procedimento só pode ser feito com os pelos ainda pretos, já que o laser só age em pelos que têm melanina. Ou seja, o laser não consegue atuar sobre pelos brancos ou descoloridos.

Depilação a laser dói?

Um dos receios mais comuns de quem pretende aderir à depilação a laser é a dor, porém, algumas clínicas já oferecem novas técnicas que prometem menos dor e mais rapidez.

De acordo com Isabela Bazoni, gerente de Marketing da Giolaser, na depilação a laser eles usam o laser de diodo que possui três mecanismos de aplicação que permitem personalizar o tratamento de acordo com a pele.

Segundo Isabela, este tipo de laser é mais confortável que os outros porque a aplicação é feita com uma ponteira de Safira refrigerada a 0,5ºC.

Cuidados com a depilação a laser

Durante todo o procedimento é importante não tomar sol na área em que a depilação está sendo feita, não ter tirado o pelo da raiz pelo menos 30 dias antes da sessão, depilar com lâmina a região em que vai aplicar o laser um dia antes da sessão e não aplicar nenhum produto que sensibilize a pele como, por exemplo, ácidos durante o tratamento.

Os pelos devem ser raspados para que a energia liberada pelo laser se concentre na estrutura alvo (folículo piloso) e não se disperse ao longo do pelo. Além disso, o uso de protetor solar é imprescindível.

O dermatologista André Braz também alerta que as sessões não podem ser feitas caso as pessoas estejam com machucados na pele. De acordo com o médico, após o tratamento, geralmente é prescrito um creme com corticoide e antibiótico para ser utilizado duas vezes ao dia por 5 dias no local tratado.

Depilação a laser na virilha

A região da virilha é sensível, por isso, o dr. Salomão indica a técnica de depilação a laser nesta parte do corpo para evitar irritação na pele e até aparecimento de manchas e flacidez a longo prazo.

Cada sessão nesta área do corpo costuma durar de 20 a 30 minutos, dependendo da sensibilidade de casa pessoa. O recomendando é que sejam feitas, no mínimo, 10 sessões com intervalos mensais, mas varia de pessoa para pessoa.

Depilação a laser: quanto custa

O valor de casa sessão varia de acordo com o número de disparos feitos, portanto, quanto maior a região em que a depilação é feita, mais alto o valor. Na Giolaser, a sessão no buço sai por R$ 70,00, na virilha custa R$ 194,00 e na perna inteira R$ 426,00.

Contraindicação da depilação a laser

A depilação a laser não pode ser feita em pele bronzeada porque o pigmento da pele pode atrair o laser. Caso isso aconteça, os raios de laser acabam queimando a pele ao invés de que queimarem os pelos.

Como o bronzeado não é um estímulo natural, o aparelho não consegue ser regulado da mesma forma que é regulado para a pele negra. Por isso, quem está bronzeado deve esperar no mínimo 15 dias após a exposição ao sol para que a região seja despigmentada.

Fonte: Bolsa de Mulher