A depilação íntima completa é uma das principais escolhas das mulheres para o sexo – seja por questão de conforto, segurança ou mesmo para agradar a outra pessoa. No entanto, a remoção dos pelos exige também alguns cuidados.

Depilação antes do sexo

Qualquer método de depilação agride a pele de alguma maneira e a recuperação leva algum tempo. Essa sensibilidade pode ser a porta de entrada para alguns micro-organismos que causam doenças. “A depilação deixa os poros abertos e isso favorece a entrada de bactérias, o que se agrava caso a mulher já tenha predisposição à foliculite”, explica a ginecologista Dra. Lilian Fiorelli, especialista em sexualidade humana da Alira Medicina Clínica.

Além disso, a pele recém-depilada pode até mesmo diminuir o seu prazer sexual, justamente por conta da sensibilidade. “É claro que o prazer no sexo está relacionado a diversos fatores, não há uma regra, mas tudo que causa dor ou incômodo e desvia o foco da relação pode atrapalhar”, ressalta.

Como fazer

Para se livrar desses riscos, o ideal é dar um tempo para a pele se recuperar. “Se a mulher puder fazer essa depilação uns 2 dias antes da relação sexual é melhor. Já é tempo suficiente para diminuir a reação inflamatória local causada pela depilação”, afirma a Dra. Lilian.

Depilação faz mal para a saúde?

De acordo com a ginecologista, sozinha, a depilação não traz riscos à saúde da mulher. No entanto, é importante redobrar a atenção com a higiene, com os materiais utilizados para a depilação e com os cuidados pós-depilatórios (como evitar roupas apertadas, exposição ao sol e cremes que possam causar alergia, por exemplo). “Desde que tomados os cuidados e que não haja predisposição a foliculites, a mulher pode se depilar tranquilamente”, ressalta.

Fonte: Bolsa de Mulher