Divulgação/Manu Marinho

Que mulher não passou pela saia justa de ir ao banheiro e descobrir que a menstruação desceu, assim, sem esperar, naquele momento em que você não tem nenhum absorvente na bolsa? Se alguma amiga estiver no banheiro, ok, ela pode te salvar. Mas, e se você está sozinha sem esse item indispensável à mão? A gente sabe que muita gente já enfrentou esse perrengue.

Pensando nisto, uma estudante da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) criou uma verdadeira “corrente do bem” dos absorventes, em que toda a mulher que vai ao banheiro da faculdade pode participar. A caixa do absorvente coletivo é uma ideia incrível e prática, e que tem uma mensagem muito poderosa para passar: mulheres unidas se cuidam, se protegem e se ajudam!

A estudante do primeiro período de design da UFPE, Maria Manuella Ferreira Marinho, 20 anos, criou a caixinha colaborativa no banheiro feminino da faculdade no início de abril.

Ela viu a iniciativa em um grupo de Facebook de um coletivo de mulheres de outra universidade, e resolveu aplicá-la também no seu dia a dia. Mas, mais do que uma mão na roda para quem fica menstruada – ou quer trocar o absorvente – e esqueceu-se de colocar um deles no necessaire, a medida é um símbolo da união das mulheres.

É uma forma simples (e bem inteligente!) de colocar em prática a solidariedade entre as mulheres. Mesmo porque a ideia desta caixinha é que a mulher use quando necessário, mas também reponha o absorvente se tiver um a mais.

“Coloquei os absorventes à disposição e comentei com as meninas da minha sala. Houve uma repercussão no Facebook e o pessoal começou a usar”, explica. “Um dia de manhã, arrancaram a plaquinha e o pote já estava vazio. Mas, à tarde, reabasteceram e colocaram o cartaz de novo”.

Além da caixinha, Manu fez questão de deixar uma mensagem de empoderamento a todas que entrassem no banheiro feminino. “Melhor que uma mulher, só todas elas juntas!”.

Adesão 

Por conta da repercussão da iniciativa nas redes sociais, outro grupo de universitárias da faculdade Cásper Líbero, de São Paulo, se mobilizou para montar a caixinha no banheiro feminino. Além dos absorventes, elas também colocaram camisinhas.

Te convidamos a propor essa prática no banheiro feminino do seu trabalho, da sua escola ou da sua faculdade: que tal ajudar e ser ajudada com um gesto tão simples, mas de pura sororidade? Aqui, na redação do Bolsa de Mulher, estamos ansiosas para fazer a nossa caixinha!

Fonte: Bolsa de Mulher