Divulgação/Globo

Mãe não é apenas quem dá à luz, mas também quem cria. Por isso, no Dia das Mães, as homenagens costumam sempre se estender às avós, tias ou outras pessoas importantes, que desempenhem um papel materno na vida de alguém. Mas o canal GloboNews anunciou uma campanha um pouco diferente. Este ano, os pais serão os homenageados.

Dia das Mães na GloboNews

Nos dias 7 e 8 de maio, programas da GloboNews irão mostrar cinco histórias que fogem da configuração tradicional de família. 

Jaqueline Rocha Côrtes é mulher transexual brasileira, ex-funcionária da ONU, que convive com o vírus HIV há mais de 20 anos e luta pelos direitos dos que têm a mesma doença. Atualmente é casada, mãe de dois filhos e vive em uma pequena cidade, focada na família e na espiritualidade.

O músico Rodrigo Ferraz, pai de Lia e Patrick, é quem cuida das crianças enquanto a esposa trabalha fora, já que ele tem horários mais flexíveis. Pedro Arraes, empresário, optou pela licença-paternidade estendida para dividir com a esposa os cuidados com Sofia, de seis meses.

Alexandre Louzada é casado com Francisco David. Eles são pais de Patrick, Pablo e Gabriel. Enquanto Francisco trabalha fora, Alexandre cuida das crianças, estuda com elas, leva para a escola e cuida da casa: faz faxina, comida, lava e passa roupa.

E o blogueiro Lizandro Chagas, pai de Thomaz, começou a escrever sobre paternidade em um blog quando se separou. Hoje tem a guarda compartilhada do filho e acredita que está ajudando a criar uma nova geração de pais mais independentes.

Divulgação/Globo

Uma das famílias homenageadas na programação da GloboNews

Por que virou polêmica?

A decisão virou polêmica e passou a ser questionada por veículos de imprensa. A Folha de S. Paulo publicou a justificativa da emissora, mas indiretamente levantou algumas questões importantes.

No dia a dia, grande parte das mulheres faz todo ou a maioria do trabalho nos cuidados com os filhos. Esse não é exatamente o erro, afinal, essas mulheres podem exercer essa função por puro prazer. Mas a questão levantada é como isso é entendido como uma obrigação da mulher. Quando algo na criação dos filhos não sai de forma perfeita, elas costumam ser julgadas e acusadas de não serem boas o suficiente.

Com os pais já é um pouco diferente. Quantas vezes não se ouve dizer que, quando participam dos cuidados (seja trocando uma fralda, dando a mamadeira ou saindo com os filhos para passearem sozinhos) são ótimos pais e enaltecidos por suas atitudes? Não é o caso dos pais do especial da GloboNews, que mostram homens engajados, cada um com sua história. Mas o que pode estar errado em homenageá-los no Dia das Mães?

Pais ajudam na criação dos filhos?

Ao afirmar que os pais “ajudam” na educação e cuidados com as crianças, a frase esconde uma interpretação problemática. É como se os homens tivessem um papel auxiliar, complementar. Só que um papel secundário. Dá a entender que a tarefa é materna e que eles estão apenas “dando uma força”. No entanto, desde o nascimento, a responsabilidade é igual tanto para o pai quanto para a mãe.

Outra coisa: se o pai decide ter uma participação ativa, igualitária ou até mesmo assume sozinho a criação do filho, ele é comparado a uma mãe. Por isso, a homenagem da GloboNews suscita questionamentos. Ele merece ser homenageado por “ser como uma mãe” ou, simplesmente, por ser um bom pai (lembrando que eles também tem seu dia comemorativo)?

Segundo as críticas à homenagem, se por um lado a ideia é entrar nas discussões sobre as novas formações familiares, ela esbarra também em importantes questões de gênero.

E você, o que acha da ideia de homenagear os pais no Dia das Mães

Fonte: Bolsa de Mulher