Nesta terça-feira (28), foi noticiado que a atriz Andreia Horta, que interpreta Joaquina na novela “Liberdade, liberdade”, estaria com estafa e, por isso, teria sido afastada temporariamente das gravações. A comunicação da Globo, no entanto, desmentiu a informação e falou que foi outra a causa de seu afastamento. Veja o que realmente aconteceu a seguir e entenda o que é o problema que atingiu a atriz.

Doença de Andreia Horta: por que ela foi afastada? 

As primeiras notícias diziam que a atriz estaria com estafa, um acometimento caracterizado pelo desânimo frente a situações que fazem parte da rotina, como certos aspectos do trabalho ou mesmo dos relacionamentos amorosos.

Porém, em resposta à solicitação do Bolsa de Mulher, a comunicação da Globo informou que o que Andreia de fato teve foi uma crise de labirintite.

A previsão é que ela retorne em breve à novela. Nesse meio tempo, o roteiro será adaptado, sem perdas para a trama.

Labirintite: o que é 

Labirintite é qualquer alteração que afeta o labirinto, uma estrutura que fica na parte interna do ouvido e está intimamente relacionada ao equilíbrio. A neurologista Carla Jevoux, membro da Academia Brasileira de Neurologia, explica que no labirinto existem alguns canais chamados circulares, dentro deles existem cristais que comunicam ao sistema nervoso exatamente nosso posicionamento no espaço. “Se eu virar de cabeça para baixo, os cristais se deslocam para esse sentido, então meu cérebro sabe que eu estou de cabeça para baixo”, esclarece.

Causas 

Essa dinâmica pode mudar quando ocorrem certas alterações no organismo:

– Mudanças metabólicas: quando o sangue que passa perto dos canais do labirinto está “sujo”, pode haver confusão e tontura. Entre os fatores que “sujam” o sangue, estão colesterol alto, diabetes, hipertensão ou ingestão de alimentos como cafeína, chocolate e doces em geral e álcool.

– Alterações na coluna cervical e otites: a artéria labiríntica passa pela coluna cervical e qualquer desgaste nessa região pode acometer o fluxo sanguíneo para o labirinto. Da mesma forma, as doenças próprias do ouvido (otites) também podem prejudicar o labirinto.

– Causas emocionais: estresse, ansiedade, aborrecimentos e perda podem prejudicar o labirinto.

– Enxaqueca: é comprovado que, durante uma crise de dor de cabeça, o labirinto entra em desequilíbrio.

Sintomas 

Quando ocorre uma crise de labirintite, as queixas mais comuns são:

– Tontura (sensação de estar pisando no vazio);

– Vertigem (sensação de que o ambiente está girando);

– Náuseas;

– Vômitos;

– Sudorese;

– Perda de audição ou audição diminuída, zumbidos;

– Dificuldade de focar o olhar.

Tratamento 

O tratamento para o distúrbio de labirinto pode ser feito com medicamentos, fisioterapia e exercícios específicos. Se a causa for um desequilíbrio no organismo, de ordem física ou emocional, o tratamento deverá ser, primeiramente, voltado para tratá-la.

Durante a crise, a recomendação é manter o olhar em um ponto fixo e tentar se equilibrar. A especialista explica também que caminhar também pode ajudar uma vez que você olha para frente e observa as coisas ao seu redor e o aparelho ocular manda estímulos para o labirinto e diz ‘estamos de pé’. Evite deitar e ficar de olhos fechados, uma vez que isso tornará ainda mais difícil para o labirinto se situar no espaço.

Fonte: Bolsa de Mulher