Thinkstock

Mulheres são mais prudentes, cautelosas e defensivas ao volante

A batalha de quem é melhor ao volante, se são os homens ou as mulheres, parece ter chegado ao fim. As motoristas do sexo feminino superam o sexo masculino, de acordo com uma pesquisa, não apenas em testes supervisionados dentro do carro, mas também quando são observadas anonimamente em um dos cruzamentos mais movimentados do Reino Unido, o Hyde Park Corner.

Outra parte da pesquisa, encomendada pela seguradora Privilege Insurance e compartilhada pelo jornal britânico Telegraph, descobriu que apenas 28% das mulheres se reconhecem melhores condutoras do que os homens, contra apenas 13% dos homens que pensam que elas possam ser superiores ao volante.

Uma amostra de 50 motoristas enfrentaram uma avaliação feita dentro do carro, enquanto outras 200 foram observadas no cruzamento do Hyde Park, em Londres. Analisadas em 14 diferentes aspectos da condução, as mulheres marcaram 23,6 pontos de um total possível de 30, enquanto os homens conseguiram chegar a apenas 19,8 pontos.

Em uma das categorias – da distância segura ao veículo da frente – apenas 4% das mulheres, contra 27% dos homens, conduzem muito próximo do carro da frente, de forma a intimidar o motorista da frente, desrespeitando a distância mínima de segurança para evitar colisão.

A opinião das pessoas sobre suas habilidades de condução também diferem dramaticamente de suas habilidades reais. Quando perguntados se achavam que dirigiam na velocidade apropriada à via, 84% dos homens afirmaram que sim, em contraste com os 64% que realmente o faziam.

Além disso, quase metade dos homens se aproximou de algum risco muito rápido, em comparação com apenas um quarto das mulheres, enquanto mais da metade dos homens observados atravessou o semáforo amarelo quando ele estava mudando para vermelho, em comparação a apenas 14% das mulheres.

Apenas 1% das mulheres, em relação a 14% dos homens, realiza as chamadas “cortadas” no trânsito, enquanto 24% dos homens, e apenas 16% das mulheres, admitiram o uso de celulares enquanto estão dirigindo. Mais homens do que mulheres também admitiu não usar sinais de conversão, ou “de seta”, se eles acreditam não ter nenhum veículo atrás deles.

Fonte: Bolsa de Mulher