Xuxa e Luana Piovani compartilharam suas histórias de abusos na infância em um papo emocionante no programa da apresentadora da Record. As duas quiseram falar de forma aberta sobre o problema e fazer um alerta às mães.

A primeira vez que Piovani falou sobre o assunto foi em 3 de novembro de 2015, durante o programa ao vivo de Xuxa na Record. Na época, ela disse que nunca tinha falado sobre isso com ninguém, nem mesmo com sua mãe, porque não tinha coragem. Desta vez, ela deu mais detalhes sobre o que aconteceu com ela.

Primeiro Assédio

Entao… Mais uma vez a Rainha me chamou e eu fui…❤️ Mas dessa vez fui co bonde☺️☺️☺️🚌 Que prazer estar em familia e tratar de assuntos importantes. Retomamos nosso papo sobre assedio( #primeiroassedio ) a menores e ponderamos como poderiamos diminuir as estatisticas tao ruins. Colocar o assunto de volta em pauta ja ajuda a melhorar a conscientizaçao… Façam o mesmo. Protejam vossas familias🙏🏻 Muito grata @xuxamenegheloficial que nossa missao em multiplicar o #amorsófazcontademultiplicaçao sempre vença❤️❤️❤️ #ubuntu😎 #gratidao🙏🏻🙏🏻🙏🏻 #amordemae❤️ #bemzuco👶🏻 brigando de sono no colo da Xu, #lizoca👶🏼 , novo amor de Sasha, escalando Dona Lurdes, #meubolotatranscende meu grude e as minhas #anjas😇 Juju, Tacila e D.Lurdes todas encantadas com a Xu. #familiacolorida 🎨🎨

A atriz de 39 anos conta que só foi se lembrar do assédio quando surgiu a campanha #PrimeiroAssédio nas redes sociais. “Eu fui assediada verbalmente e fisicamente”, disse a Xuxa.

A #PrimeiroAssédio surgiu em outubro de 2015 em repercussão aos comentários pedófilos dirigidos a uma participante do MasterChef Júnior, da TV Band. A menina foi atacada nas redes sociais e milhares de mulheres usaram a hashtag criada pelo coletivo feminista Think Olga para compartilhar experiências semelhantes na web.

Traumas de infância

Piovani disse que sofreu quatro assédios entre os seis e oito anos. Atualmente, ela diz ter dificuldade em ir ao ginecologista e acredita que isso aconteça por causa do trauma de infância.

“Eu acho que a minha ginecologista desconfia disso, porque eu tenho reações que eu sei que não são comuns”, explicou.

Gaby Amarantos também participou do bate-papo por vídeo. A cantora, que já tinha falado sobre abusos que sofreu, disse que acredita que as mulheres da periferia são ainda mais assediadas, porque têm pouco acesso à informação e mais medo de denunciar.

“Tem uma situação que foi a mais aterrorizante de um homem bem mais velho que me assediava com gestos obscenos, com olhares obscenos, até que eu tive coragem, falei para o meu pai e ele tomou providência”, contou Gaby.

Após o depoimento de Gaby Amarantos, Xuxa disse que no Brasil é comum as mulheres acharem normal o assédio na rua (http://www.bolsademulher.com/abusos-sexuais/roupa-curta-provoca-assedio-na-rua-texto-que-viralizou-e-quase-um-tapa-na-cara), mas não é e isso precisa mudar.

Em 2012, em depoimento ao Fantástico, da TV Globo, Xuxa contou que sofreu abusos até os 13 anos.

“Eu sei o que uma criança sente. Nós achamos que somos culpados. Eu sempre achei que eu estava fazendo alguma coisa: ou era minha roupa ou era o que eu fazia que chamava a atenção. Então, ao invés de falar para as pessoas, eu tinha vergonha, me calava, me sentia mal, me sentia suja, me sentia errada. E se eu não tivesse uma mãe, se eu não tivesse o amor da minha mãe, eu teria ido embora, porque o medo de você ter aquelas sensações de novo, passar por tudo isso, é muito grande. Só que eu não falei pra minha mãe, eu não tinha essa coragem de falar com ela. E a maioria das crianças, dos adolescentes, passa por isso”, desabafou emocionada.

Fonte: Bolsa de Mulher