Um vídeo que mostra uma menina de 2 anos enxergando pela primeira vez está emocionando a internet. É a história de Nicolly, cega de nascença que, depois de passar por uma série de cirurgias, a mais recente nos Estados Unidos, pôde ver finalmente o rosto da mãe, Daiana Pereira, que não segurou as lágrimas no momento.

Problema de visão ao nascer

Em entrevista ao Bolsa de Mulher, Daiana contou que a filha já nasceu com glaucoma congênito avançado e, por isso, nunca enxergou. “Dois dias depois do nascimento, meu marido viu que ela não abria os olhos. Quando abriu, eles eram totalmente pretos. Estranhamos, chamamos um enfermeiro, passamos pelo pediatra, que encaminhou para o oftalmologista, que confirmou a doença”, contou.

Desde então, foram muitos tratamentos e cirurgias, todos sem sucesso. Mas a mãe não deixou de acreditar. “Nunca pensei que não teria mais jeito. Era um sonho meu, mas deixei guardado dentro de mim. A visão deixou de ser prioridade quando a gente descobriu a gravidade da doença em si. Então, para que ela não perdesse os olhos, nossa luta passou a ser pelo controle do glaucoma”, disse.

Cirurgia para conseguir enxergar

Em uma página no Facebook criada desde que Nicolly tinha três meses, a mãe compartilhava as informações sobre a doença da filha. Até que uma brasileira que mora em Miami, nos Estados Unidos, viu uma das publicações e, por ter um caso de glaucoma na família, se sensibilizou e resolveu ajudar.

Foi através dela que o caso chegou a outra brasileira, que também mora em Miami, Carolina, que trabalha há 15 anos viabilizando a ida de crianças daqui que vão se tratar nos Estados Unidos. Ela reuniu todas as informações e começou a pesquisar melhor sobre o caso e a ver com seus contatos qual seria a pessoa ideal para fazer a cirurgia. “Mandei e-mail para vários médicos, incluindo a Dra. Alana Grajewski, do Bascom Palmer Eye Institute, que foi a única que aceitou tratar a Nicolly”.

Ela começou, então, uma campanha nas redes sociais, disponibilizando um link para que as pessoas pudessem doar dinheiro direto para o hospital através da WonderFund, ONG do próprio hospital. O valor total necessário era de 17 mil dólares (o equivalente a mais de 60 mil reais). E muita gente se mobilizou para ajudar.

“Quando a arrecadação estava em 20%, uma amiga disse que ela e o marido doariam o restante que ainda faltava. Um amigo dono de hotel doou a hospedagem, uma amiga brasileira doou o restante da estadia em um apartamento e um menino de 10 anos, Elio Junior Giovane, que é corredor de kart, doou o prêmio dele para as passagens. Tudo isso em um curto período de tempo”, lembra. Foi assim que Nicolly pôde ir para os Estados Unidos.

Vídeos emocionantes

Antes da cirurgia da visão, os médicos descobriram que ela tinha também um problema de audição. Por isso, ela foi submetida a duas operações no mesmo dia. “Ela viu e ouviu pela primeira vez no dia 17 de março. Foi lindo. É algo único! Vou me emocionar todas as vezes que eu me lembrar, todas as vezes que eu olho pra ela e ela me olha. Ela é uma criança que hoje brilha muito mais! Digo que ela nasceu dia 17 de março, que foi o dia que eu pude ver de verdade a criança meiga que ela é, não na forma de demonstrar o carinho, mas na forma de olhar pra gente com carinho”, relata a mãe. Assista ao vídeo que mostra esse momento:

A mãe conta ainda que, infelizmente, Nicolly nunca vai ter uma visão 100%, e que ela não está curada do glaucoma. Na cirurgia foram colocados tubos dentro dos olhos para drenar o líquido e controlar a pressão. E ela ainda está em adaptação, usando óculos e não se sabe ao certo como ela está enxergando. “O cérebro já tinha se acostumado a não enxergar, por isso precisa agora trabalhar para que ele estimule a visão”, explicou. Esse outro vídeo mostra o momento em que ela colocou os óculos:

Fonte: Bolsa de Mulher