KatarzynaBialasiewicz/istock

 

A realização de exames clínicos de homens e mulheres é importante para casais que planejam ter filhos e uma gravidez segura e livre de complicações. A avaliação ajuda a identificar possíveis doenças crônicas, como, por exemplo, o diabetes. Quando a condição não é tratada, pode fazer com que a mulher tenha dificuldade para engravidar ou mesmo levar à infertilidade.

O que é diabetes

O diabetes é uma síndrome metabólica que ocorre devido à deficiência de produção de insulina ou sua ação no organismo, fator que provoca aumento da taxa de glicose no sangue. O organismo do diabético não consegue colocar a glicose para dentro das células, o que aumenta os níveis de açúcar no sangue e causa os problemas de saúde.

Ramon L. Farinos/Shutterstock

 

Mulheres com diabetes tipo 1 podem engravidar?

A doença faz com que o pâncreas perca sua capacidade de produzir insulina devido a um defeito do sistema imunológico, levando a uma deficiência quase absoluta de insulina, fato que pode comprometer os ovários e, consequentemente, dificultar a gravidez. Quando a doença está sob controle normalmente não afeta a fertilização ou gestação.

Mulheres com diabetes tipo 2 podem engravidar?

Bem mais comum que o diabetes tipo 1, a doença decorre da resistência à insulina e, na maior parte dos casos, está associado a doença como obesidade e sedentarismo. Ambos os fatores podem provocar alterações no ciclo menstrual e infertilidade por serem resultados de deficiência hormonal. Assim como no caso anterior, a condição sob controle não reduz sozinha as chances de engravidar.

6 alimentos que toda mulher deveria excluir na gestação: nutricionista das famosas explica
ShutterStock

 

 Como tratar o diabetes na gravidez

Quando a mulher sofre de diabetes tipo 2 o tratamento ao longo da vida costuma ser feito com medicamentos orais. Porém, durante a gestação, essas medicações são substituídas pela insulina, o que permite um controle muito mais rigoroso da glicemia.

Uma boa alternativa é o uso da bomba de insulina, que é um dispositivo ligado ao corpo por meio de um cateter. Esse aparelho envia pequenas doses de insulina continuamente ao organismo, 24 horas por dia, conforme uma programação feita pelo médico. Vale lembrar, no entanto, que apenas o profissional de saúde pode indicar o tratamento adequado para a gestante.