É sabido que a licença-maternidade é essencial para a relação da mãe com bebê e a recuperação da mulher pós-parto. No entanto, a presença do pai nesse momento também é importantíssima para que o homem crie vínculos com o filho e para não sobrecarregar a mulher em um período de tantas transformações.

Foi levando em consideração a necessidade de o pai estar integralmente focado no nascimento do seu filho que a Natura, empresa nacional de cosméticos, estendeu a licença-paternidade dos seus funcionários para 40 dias.

O benefício é válido para todos os trabalhadores e para todos os arranjos familiares, sejam eles com crianças adotadas ou casais homossexuais.

Licença-paternidade: como é a lei?

Licença-paternidade de 5 dias 

A Constituição Federal garante a todos os homens empregados pelo regime CLT cinco dias de licença contados a partir primeiro dia útil depois do nascimento da criança.

Licença-paternidade de 20 dias

Em março de 2016, no entanto, a Presidência da República sancionou uma lei que prevê o afastamento dos pais por até 20 dias. O projeto faz parte da Política Nacional Integrada para a Primeira Infância. Mas, por enquanto, a adesão é facultativa e disponível apenas para funcionários de empresas que fazem parte do Programa Empresa Cidadã.

Natura aumenta licença-paternidade para 40 dias

Agora, a Natura anunciou oficialmente que todos os seus funcionários terão direito a 40 dias de licença. Isto, como explicam em nota, é fruto do reconhecimento da empresa sobre a importância da proximidade do pai nesse período para a criação de vínculos com o bebê e divisão de tarefas com a mãe.

O funcionário ainda pode juntar o benefício com as férias, resultando em até 70 dias de afastamento.

Objetivo da empresa

Ao site de notícias Brasil Post, Fátima Rosseto, diretora de educação e desenvolvimento da empresa, disse que a decisão é parte dos esforços que a empresa tem feito para alcançar a equidade de gêneros (tratamento igual aos gêneros – homem e mulher – respeitando suas diferenças).

Para tentar diminuir a desigualdade de gênero existente na sociedade, a empresa ainda disponibiliza em sua sede, em Cajamar (SP), creche para filhos de até 3 anos dos funcionários com a intenção de incentivar o aleitamento materno e cede licença-maternidade de 6 meses para as mulheres (a lei garante apenas 4).

Como empresas conseguem fazer isso?

Atualmente, empresas que dão licenças-maternidade e paternidade ganham incentivos fiscais.

Neste caso, a Natura é vinculada ao Programa Empresa Cidadã e, como é tributada em cima do seu lucro real, os valores pagos nos meses estendidos aos seus funcionários podem ser deduzidos de impostos.

Fonte: Bolsa de Mulher