solar22/istock

Quem sofre com problema de acne e sempre busca diferentes alternativas para combater a situação certamente já se deparou com diversas indicações de amigos e familiares sobre tratamentos caseiros “milagrosos” que prometem acabar de vez com as espinhas. Mas será que eles realmente funcionam?

Uma recente reportagem do jornal “Daily Mail” realizou uma reunião de mitos comuns sobre cuidados com a pele e desvendou o que é verdade e o que pode ser perigoso ao tentar tratar das espinhas sem a consulta com um dermatologista. Confira as explicações abaixo:

Pasta de dente: o hábito de usar creme dental talvez seja um dos mais antigos, mas apesar do alerta de dermatologistas, muita gente ainda aposta na medida. O produto, porém, não trata a acne e ainda pode provocar irritações e manchas na pele.

Gelo: apesar de temporariamente provocar um efeito de alívio, como em inchaços e machucados, aplicar cubos de gelo na pele não produz qualquer efeito sobre a acne e ainda pode causar queimaduras em peles mais sensíveis.

Alho: esfregar um dente de alho ou uma pasta do alimento sobre as espinhas, além de provocar mau cheiro, ainda é ineficaz, já que nenhum estudo comprovou qualquer relação entre o alho e a melhora na acne.

ankomando/Shutterstock

Clara de ovo: algumas pessoas acreditam e até já experimentaram uma aplicação sobre as espinhas da parte branca do ovo. O alimento, no entanto, pode garantir até efeito contrário, já que fecha os poros, contribuindo para o aparecimento da acne.

Limão: apesar de ainda ser usada por algumas pessoas como clareador de pele e em receitas para reduzir as espinhas, a fruta é um dos produtos caseiros mais perigosos para a saúde. Além de não ajudar em nada no combate à acne, ainda pode causar sérias queimaduras quando exposto ao sol.

Suco antiacne: 

Fonte: Bolsa de Mulher