São inúmeras as variações anatômicas que o corpo feminino pode ter: do formato das curvas a detalhes menores, como os seios. Assim, até o tipo de mamilo pode variar de mulher para mulher. Você sabe identificar o seu? Confira nas ilustrações.

Mamilos protuberantes: esse tipo de mamilo se projeta alguns milímetros sobre a superfície da pele e o bico fica apontado para fora – ele, inclusive, endurece facilmente com estímulos ou sob temperaturas baixas.

Mamilos planos: tanto a aréola quanto o bico ficam no mesmo nível, como se estivessem “desenhados” sobre a pele dos seios.

Mamilos inchados: tanto a aréola quanto o bico do seio são saltados, o que deixa uma aparência inchada e “fofinha”.

Mamilos invertidos: caracteriza-se pela retração dos mamilos para dentro. Isso acontece geralmente por formação congênita e, em casos mais leves, pode ser exteriorizado facilmente com as mãos. Em outros casos, essa formação pode interferir na amamentação.

Mamilo invertido em um lado só: um dos mamilos se forma normalmente e o outro fica retraído.

Com glândulas aparentes: algumas mulheres podem ter a aréola com pequenas bolinhas que são as chamadas glândulas de Montgomery, que produzem secreções sebáceas e mantêm a área protegida e lubrificada.

Com pelos: o desenvolvimento de pelos nos mamilos está associado à produção hormonal, portanto varia de corpo para corpo, mas não é sinal de preocupação. Se os pelos incomodarem, vale procurar um tratamento hormonal com seu ginecologista – você ainda pode depilar o mamilo, se quiser.

Supranumerário: algumas pessoas, tanto mulheres quanto homens, podem nascer com um mamilo extra, menor do que os outros. Ele geralmente aparecem abaixo dos seios.

6 conselhos de médico para nunca ter que fazer plástica

Fonte: Bolsa de Mulher